Botuáfrica expõe na maior feira da América Latina

A convite da Organização Artesanato Sustentável de São Paulo, que tem como missão promover o artesanato brasileiro, o Instituto Botucatu por meio do Botuáfrica, projeto no qual se trabalha a produção de roupas e acessórios feitos de tecidos estampados à mão, baseados na cultura africana e afro-brasileira, expôs seu produtos na Mega Artesanal. Trata-se da maior feira de artes e artesanato da América Latina.

A Feira foi realizada no Imigrantes Exhibition & Convention Center, em São Paulo, entre 22 e 26 de julho e atraiu cerca de 112 mil pessoas. O evento reuniu mais de 300 expositores, espalhados pelo pavilhão de 33 mil m². Na feira os visitantes puderam conferir de perto os tecidos estampados em estêncil criados pela artesã botucatuense, Sandra Lopes, do projeto Evoluir, do Parque 24 de Maio.

O Botuáfrica surgiu em 2010, idealizado pela Prefeitura de Botucatu, por meio da Assessoria de Políticas de Promoção da Igualdade e Ações Afirmativas, e conta com a parceria do Instituto Botucatu sob a curadoria e coordenação geral de Silvia Sasaoka. Participam do projeto integrantes do projeto Evoluir, do Parque 24 de maio.

Recentemente o Botuáfrica também foi tema de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da Universidade Federal São João Del Rei, do Estado de Minas Gerais, como proposta inovadora de educação empreendedora e economia criativa.

“É gratificante ver o nome do Município representado pelo Botuáfrica em evento nacional tão importante para o Artesanato Brasileiro e também na Academia/Universidade como instrumento de inovação educacional e empreendedorismo, potenciais estes evidentes na população afro-brasileira”, destaca a assessora em Políticas Promoção da Igualdade, Conceição Vercesi.