Barbatuque ministra Encontros de Música Corporal

Som, ritmo, dança, música, tudo num só corpo: Percussão Corporal ou Música Corporal. No Brasil, a músicas de percussão corporal ganharam mais destaque com o grupo Barbatuques, que além de conseguirem produzir sons incríveis com os pés, mãos, dedos, boca e outras partes, incrementam suas posições com ritmos e estilos musicais tipicamente brasileiros.  

Em Botucatu, todo mês, o Mirante das Artes promove um encontro para iniciantes e pessoas interessadas em saber mais sobre Percussão Corporal, técnica que envolve movimentos e sons produzidos a partir do próprio corpo humano, com Charles Raszl (foto), diretor musical da Cia. do Miolo de Teatro, professor do Instituto Brincante, compositor e membro do grupo Barbatuques. Em agosto, o encontro para iniciantes acontece nesta sexta-feira, dia 28,  às 19 horas com investimento de R$ 50,00.

Já no sábado (29), das 10 às 13 horas, estudos e descobertas sobre sonoridades e movimentos são desenvolvidos por um grupo que já é orientado gratuitamente por Charles há cerca de dois anos.  Destaca que quando conheceu a Percussão Corporal  teve uma surpresa, pois foi durante uma visita ao Mirante que viu o Charles dar uma palhinha do seu trabalho com o Barbatuques.

“A partir de então, desenvolvemos técnicas passadas por ele e já fizemos algumas apresentações”, revela Luís Gustavo Basseto Hirata, membro do grupo avançado de Percussão Corporal. “Eu acabei mergulhando de cabeça e estou curtindo treinar e aperfeiçoar as técnicas que ele está passando pra gente”.

Segundo Flávia Fazzio, professora de Dança e membro da coordenação Mirante, a ideia de trazer um artista de referência em Percussão Corporal surgiu da necessidade criativa do grupo de sapateado Pé de Step. “Os estudos do grupo mostraram que a percussão corporal é uma prática que pode ser utilizada como recurso sonoro, performático e musical. Tivemos contato com vários tipos de técnicas para produzir música com o corpo e o trabalho do grupo Barbatuques foi a inspiração recorrente na criação de nossas coreografias”, explica Flávia.

No entanto, os encontros com Charles e o grupo Pé de Step no Mirante das Artes rendeu bons resultados e experiências, o que acabou fazendo com que o artista continuasse visitando Botucatu mensalmente, passando a promover dois encontros ao invés de um.

“Nas noites de sexta, o encontro é mais direcionado para iniciantes, sem experiência, sempre com atividades que todos conseguirão acompanhar. Já aos sábados, a complexidade principalmente gestual, ou seja, de movimentação corporal, é maior e dedicado àqueles que já participaram antes”, comenta o Barbatuque, Charles Raszl.

Em seus trabalhos, Raszl procura sempre desenvolver suas técnicas junto aos mais diversos ritmos brasileiros. “A sonoridade do corpo é um fato, um fenômeno natural. Percutir os pés no chão, as mãos nas pernas, na boca, nas bochechas, cantar, bater palmas e estalar os dedos etc. Todos os sons produzidos dessa forma podem ser organizados, e a nossa rica e extensa cultura brasileira nos oferece uma estrada enorme de investigação”, frisa o orientador.

“Queremos que mais pessoas descubram a Percussão Corporal, que saibam que independente do uso de um instrumento ou do próprio canto, nosso corpo e movimentos são sonoros e musicais”, diz a coordenadora do Mirante das Artes, Flávia Fazzio.