Bailarino Lineker se apresenta na Casa da Juventude

Ao longo dos últimos cinco anos, o artista vem desenvolvendo uma pesquisa de criação em dança que integra as diversas experiências que constituem sua trajetória artística com a dança e a música

 

O bailarino, cantor e diretor Lineker, de São Paulo, estará apresentando no próximo dia 22 de Janeiro, em Botucatu, às 20 horas,  o espetáculo de dança “ECO – Experimento I”. No mesmo dia o artista também ministra a oficina “Intersecções poéticas entre o movimento e a voz”. A apresentação de Lineker será na Casa da Juventude Vinício Aloise que fica na Rua Benjamim Constant, 161, Vila Jaú [antigo armazém da Estação Ferroviária]. A entrada é gratuita

Além da apresentação de ECO, o projeto traz a oficina “Intersecções poéticas entre o movimento e a voz”, das 17 às 19 horas. O trabalho é indicado para atores, cantores, dançarinos, perfomers e artistas em geral, profissionais ou estudantes. Na oficina, Lineker irá compartilhar alguns dos exercícios e procedimentos que integraram sua pesquisa. Os interessados em participar da oficina devem enviar uma carta de apresentação para o e-mail producaolineker@gmail.com. Os selecionados serão avisados por e-mail.

Lineker é bacharel em Música e mestre em Artes da Cena pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), universidade na qual também teve grande parte de sua formação em dança pelo departamento de Artes Corporais. Além da formação acadêmica, Lineker teve diferentes experiências com importantes artistas e pesquisadores – nomes como Meredith Monk, artista que atualmente exerce grande influência sobre seus trabalhos.

Ao longo dos últimos cinco anos, Lineker vem desenvolvendo uma pesquisa de criação em dança que integra as diversas experiências que constituem sua trajetória artística com a dança e a música. O trabalho tem como eixo central um estudo das intersecções poéticas entre o movimento e a voz, e vem sendo difundido pelo artista em cursos, oficinas e em seu trabalho com o grupo NUA, do qual é diretor.

ECO é o primeiro trabalho solo de Lineker que traz como principal proposta uma criação em dança a partir dessa pesquisa. O projeto foi selecionado pelo edital Primeiras Obras de Produção de Espetáculos e Dança do ProAC (Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo), e conta com a colaboração das artistas Andreia Yonashiro e Patrícia Árabe.

Com uma estrutura flexível e aberta para a improvisação, o espetáculo parte da relação entre movimento, voz, memória, impermanência e efemeridade, criando um fluxo de deslocamento cíclico e contínuo que se alterna com lapsos e quebras em que o movimento pode se transportar para um tempo passado, presente ou futuro, inesperado.

Na repetição, lembrança e vazio coexistem, e a fuga do fluxo vem como um eco. Eco que como sinônimos e metáforas evoca os sentidos de reflexão, reflexo, repercussão, repetição, ressonância, reverberação, lembrança, marca, memória, rasto, recordação, vestígio. Ao mesmo tempo, movimento que é eco da voz, e voz que é eco do movimento.