Artistas do Circuito Sesc de Artes se encontram em Botucatu

De acordo com informações passada pelo jornalista Igor Medeiros, da Secretaria de Comunicação, a Prefeitura de Botucatu em parceria com o Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) e Sesc (Serviço Social do Comércio) promoverá em Botucatu, no próximo dia 29 de outubro (sexta-feira), o “Circuito Sesc de Artes 2010”.

As apresentações gratuitas começam a partir das 16 horas e seguem até ? s 22 horas. A estrutura de palco e cadeiras para o público será montada em frente ? Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) “Dr. Cardoso de Almeida”, no Centro.

O Circuito acontece de 19 de outubro a 7 de novembro e percorrerá 88 cidades do interior, litoral e Grande São Paulo, levando mais de 200 artistas e outros 200 profissionais em 16 dias de programação. A diversidade das linguagens artísticas será contemplada com atividades nas áreas de artemídia, artes visuais, circo, dança, literatura, música, e teatro. Em Botucatu serão 33 artístas.

O evento já havia passado pela Cidade em 2008 e atraiu cerca de 1 mil espectadores. Desta vez, o Sesc promete trazer para o Município uma diversidade de talentos artísticos. Destaque para as apresentações do músico Paulinho Moska e de Bruno Vianna, que traz o projeto “Eletropipas”, uma apresentação de pipas confeccionadas com materiais reciclados e incrementados com lâmpadas LED, que colorirão o céu botucatuense, inclusive ? noite.

“O Circuito é uma verdadeira caravana de artíitas que apresentaram projetos de artes plásticas, musicais, literatura e todo tipo de cultura que está em evidência”, comenta Cleuza Delgado, programadora do Sesc Piracicaba. “A intenção é aproximar da população todas as modalidades artísticas em um único espaço e dia”, completa Fátima Baldini, presidente do Sincomércio de Botucatu.

{n}Programação do Circuito em Botucatu:

Artemídia
“Tormenta Eletrônica” – Luiz Duva (SP){/n}
Em uma composição audiovisual, o videoartista e performer multimídia usa imagens do horizonte marítimo inglês para construir uma tormenta eletrônica. Desde 2003, Luiz Duva desenvolve projetos para serem apresentados em ambientes imersivos e/ou salas de cinema.

Além disso é o idealizador e diretor artístico da Mostra Live Cinema que se tornou referência nacional na linguagem e que chega á sua quarta edição em 2010. Sua última performance, “Storm”, recebeu o prêmio Rumos Evento Multimidia do Itaú Cultural 2009/10.

Duração: 35 minutos
Classificação: livre

{n}Artes visuais
“Eletropipas” – Bruno Vianna (RJ){/n}
Projeto que explora o uso de materiais reciclados e acessórios diferenciados para confecção de pipas. Além disso, a pesquisa de Bruno Vianna envolve também a captação e geração de sons através de sensores de movimento e microfones e a investigação artística das pipas como suporte poético.

A proposta desta oficina é a construção de pipas de modelos práticos e pouco convencionais, incrementados com LEDs, pequenos equipamentos luminosos. Os participantes descobrem como fazer circuitos elétricos simples e adequados para o vôo. Ao entardecer, uma revoada de eletropipas decora o céu da praça.

Duração: 3horas
Classificação: livre

“Jogo acervo Sesc de arte brasileira”
Com o objetivo de aproximar o universo artístico por meio do contato com obras de arte, uma brincadeira de cartas com imagens impressas de algumas obras do acervo do Sesc propõe indagações e reflexões educativas relacionadas com os trabalhos artísticos apresentados.

Classificação: livre

{n}Circo
“Os Perdidos” – Solas de Vento (SP){/n}
Dois personagens vão realizar uma viagem tendo como único recurso uma escada e um atlas. Com a utilização de elementos acrobáticos e de dança, os atores contam as peripécias da aventura: ora de barco, ora numa caverna, ora numa montanha gelada. Os Perdidos usam a imaginação para transformar o espaço em que estão. Solas de Vento é formado pela parceria entre Bruno Rudolf e Ricardo Rodrigues, iniciada em 2007.

Direção: Kris Niklison
Criação e elenco: Bruno Rudolf e Ricardo Rodrigues
Duração: 30 minutos
Classificação: livre

{n}Dança
“E aí, vamos dançar?” – Cia. Nova Dança 4 e Natália Malo [SP]{/n}
O público é abordado de maneira lúdica com realização de quadros cênicos através da dança, da música e da performance e é convidado para dançar no ‘salão’ das praças ao som da banda comandada por Natália Malo, criando uma atmosfera parecida com um grande baile.

A companhia iniciou seus trabalhos de pesquisa e performance em 1996, desenvolvendo desde então as possibilidade do intérprete como um criador em cena. O espetáculo é construído em tempo real e convida o espectador a ser cúmplice desse jogo imprevisível da criação.

Direção: Cristiane Paoli Quito
Bailarinos e atores: Alex Ratton Sanchez, Cristiano Karnas, Diogo Granato, Erika Moura, Gisele Calazans, Lívia Seixas, Luciana Paes e Tica Lemos
Banda: Nathália Malo
Duração: 60 minutos
Classificação: livre

{n}Literarura
“Repórter abelha”{/n}
Com a missão de descobrir quais são as referências literárias dos moradores da cidade por onde passa, um vídeo-repórter faz rápidas entrevistas sobre o que as pessoas estão lendo no momento, quais são seus poetas e escritores preferidos. Ao final do dia, esse material é editado e apresentado no telão do palco promovendo um encontro das respostas registradas com o público.

Coordenação: Aldo Quiroga, com participação de Mariana Piza
Classificação: livre

“Sarau do Binho”
O Sarau do Binho é um encontro entre poetas, cantores, músicos e outros artistas populares que se reúnem para compartilhar a arte e a poesia. A expressão é livre tanto para aqueles que já têm obras divulgadas e livros publicados, como para os que estão pela primeira vez mostrando sua própria produção.

O Sarau do Binho já se transformou em um marco importante de expressão cultural para poetas e escritores, sendo um espaço de referência cultural no Campo Limpo, na zona Sul da capital paulista.

Com: Robinson Padial (Binho), Raíssa Corso, Luan de Jesus e Fabiana Teixeira
Duração: 50 minutos
Classificação: livre

{n}Música
Paulinho Moska (RJ){/n}
O cantor apresenta as músicas de seu novo projeto, “Muito Pouco”, originado de dois discos: o “Muito”, com instrumentos e arranjos elaborados, e o “Pouco”, mais intimista. Também estão no repertório do show sucessos de sua carreira como “Ultimo Dia”, “A Seta e o Alvo”, “Pensando em Você”, entre outras. Desde 1993, Paulinho Moska mantêm uma carreira sólida com mais de dez discos lançados que levam sua assinatura nas belas melodias e letras inteligentes, sempre longe do lugar-comum.

Duração: 60 minutos
Classificação: livre

{n}Teatro
“O mundo tá virado” – Grupo Imbuaça (SE){/n}
No cotidiano das ruas tudo acontece. O comércio, antes restrito ? s feiras, hoje invade os logradouros públicos e até mesmo os lares. A sociedade do consumo exige sempre maiores espaços para vender e adquirir seus atrativos. Nesse contexto, circulam personagens que querem se dar bem a qualquer custo, não importa como.

Com um texto simples e de fácil comunicação, reúne três histórias adaptadas da literatura de cordel, alinhavadas pela música e pela dança folclórica. Fundado em 1977, o Grupo Imbuaça, homenagem ao embolador Mané Imbuaça, é fruto de uma série de oficinas realizadas em Aracaju (SE) e tem como elemento marcante na sua identidade a literatura de Cordel e os elementos da cultura popular.

Dramaturgia e direção: Iradilson Bispo
Elenco: Isabel Santos Neves, Lindolfo Amaral, Manoel Cerqueira, Luciano Lima, Rita Maia, Késsia Mecya, Rosicleia Moura, Talita Calixto e Carlos Wilker.
Duração: 60 minutos
Classificação: livre

Serviço
Circuito Sesc de Artes 2010
Data: 29 de outubro
Horário: 16 ? s 22 horas
Local: Praça Martinho Nogueira, s/nº.
Mais informações pelo site www.sescsp.org.br/circuito.