Alcides Nogueira é autor da próxima novela da Globo

A partir de maio de 2015 o botucatuense Alcides Nogueira estará de volta no ar com mais uma novela, desta vez na faixa das 19 horas, que escreve lado de Mario Teixeira, tendo como colaboradores Tarcísio Lara Puiait, Jackie Vellego, Paulo Lins e Vitor de Oliveira.

Esta novela que deverá ir ao ar no mês de maio, será a primeira do escritor botucatuense no horário das 19 horas e objetiva resgatar os aspectos humanos e as relações fraternas que quase sempre servem de pano nas produções do horário.

A dupla de autores já trabalhou junta na sinopse de uma novela chamada “Para Sempre” que contava a história de um homem imortal que se apaixonava por uma jovem comum, que não foi ao ar, mas poderá, futuramente,  ser retrabalhada e reapresentada. Antes disso, Mario Teixeira foi colaborador de Alcides na novela “Ciranda de Pedra” (2008).

Sobre a nova novela ele adianta que as protagonistas serão Bruna Marquezine e Tatá Werneck. “A escolha das duas foi uma unanimidade. Assim como temos certeza de que o Caio Castro fará um vilão poderoso. O galã será um lançamento: Maurício Destri. Todo mundo aposta muito nele. O elenco é estelar: Letícia Spiller, Henri Castelli, Alexandre Borges, Nicette Bruno, Maria Casadevall, José Dumont entre outros muitos grandes nomes da televisão.”

E complementa: “Escalar uma novela é montar um quebra-cabeça. Não pesa somente o talento dos atores, mas também a temperatura ideal entre eles. Acho que conseguimos um ótimo resultado”.  O título definitivo da novela ficou sendo “I Love Paraisópolis.”

 

Tide

Alcides Nogueira Pinto, o Tide (como gosta de ser chamado por amigos) nasceu em Botucatu, São Paulo, em 28 de outubro de 1949. Filho de família tradicional, sendo o pai médico e também escritor, Alcides Nogueira cresceu entre livros e aprendeu a ler e escrever antes mesmo de entrar na escola. Seu sonho era ser diplomata, mas ele acabou formado em Direito, com pós-graduação em Direito Autoral.

Em 1977 escreveu sua primeira peça, A Farsa da Noiva Bombardeada  – o espetáculo ficou um mês em cartaz e foi censurado. Em 1981 veio o primeiro sucesso, com Lua de Cetim, que recebeu 16 prêmios. E, sem seguida, Feliz Ano Velho, baseada no livro de Marcelo Rubens Paiva, com apresentações no exterior, inclusive, e 28 prêmios. Ainda para o teatro, escreveu Ópera Joyce, Gertrude Stein, Pólvora e Poesia, A Ponte e a Água de Piscina, Ventania, A Cabeça, entre outras peças, com as quais ganhou os mais importantes prêmios da cena brasileira, como o Prêmio Shell (duas vezes), o Prêmio Governador do Estado, o Prêmio da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte etc.

Para a TV, Alcides escreveu programas educativos, alguns episódios da série Joana e Caso Verdade. Depois de colaborar com Walter Negrão em Livre para Voar (1984), faz sua estreia como autor-solo em De Quina Pra Lua (1985). Continuou colaborando com vários autores em novelas de sucesso, como Direito de Amar, O Salvador da Pátria, Rainha da Sucata e A Próxima Vítima.

Como autor-titular, escreveu O Amor está no Ar, Força de um Desejo (em parceria com Gilberto Braga), Ciranda de Pedra, além das minisséries em dupla com Maria Adelaide Amaral: Um Só Coração e JK. Em 2011, com a parceria de Geraldo Carneiro, reeditou com sucesso a novela O Astro, de Janete Clair, que deu aos dois o Emmy, o maior prêmio internacional de televisão.