Academia de Letras elege novos acadêmicos efetivos

De acordo com escritora e 1ª Secretária Carmem Lúcia Ebúrneo da Silva (foto), que ocupa a cadeira 13 da Academia Botucatuense de Letras (ABL), no próximo dia 25 de fevereiro (quarta-feira) a entidade promove a Assembleia Geral para tratar de artigo do seu estatuto, referente à eleição secreta dos novos acadêmicos efetivos. 

Para postular uma cadeira o candidato fez o encaminhamento à ABL  da relação de seus documentos pessoais, seus títulos, curriculum vitae, histórico de atividades literárias, artísticas ou científicas, exemplares de trabalhos publicados e trabalhos laureados.  

Com a aprovação da biografia, cada postulante a uma cadeira acadêmica  passou por uma entrevista coordenada pelo presidente Antônio Evaldo Klar, com a presença de três membros efetivos, que puderam sabatinar o postulante, para torná-lo apto à eleição.

Após a eleição do dia 25, o presidente designará um membro da ABL para proceder o discurso de recepção e saudação ao novo membro,  que deverá apresentar uma tese  da obra literária do patrono de sua cadeira, a ser entregue no prazo de até seis meses.

De acordo com o que o prevê o estatuto, o recém-eleito só entra no gozo das prerrogativas acadêmicas com o ato da posse, que oficializa a sua admissão, tomada em sessão solene franqueada ao público para que o novo membro apresente o discurso acadêmico de posse e tese, recebendo assim, o diploma de membro efetivo, medalha acadêmica e o bóton acadêmico.