13º Festival do Saci traz atividades diversificadas

Fotos: David Devidé

A 13ª edição do Festival Nacional do Saci organizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento, por meio da Subsecretaria de Turismo atraiu um grande público entre os dias 27 a 29 de setembro (sexta-feira, sábado e domingo). Foram três dias de festa no Largo da Catedral Metropolitana, em razão das reformas que estão sendo feitas no Espaço Cultural “Antônio Gabriel Marão”.

Contando com o envolvimento de 20 empresas, o evento teve uma gama diversificada de atividades com praças de alimentação e comidas típicas, feira de artesanato, recreação e brinquedos, contação de causos, danças, entre outros atrativos.

No palco se apresentaram o Coral da Afrape, Neisa “A Pantera dos Coroas” e Banda ABR-3 (sexta-feira); Rubens Brito e Kaka Kastelli (sábado); e Grupo Mão no Samba
Cláudio e Banda (MPB), Ramiro Viola e Pardini e o Grupo Samba´n Soul (domingo).

“O Festival tem o objetivo maior de buscar o envolvimento da população e parceiros para promover junto com a Prefeitura o evento que se consolida cada vez mais no Município”, frisa o subsecretario de Turismo, Fredi Wanderlei Pimentel. “Além de fortalecer a cultura e o folclore local, a intenção é envolver a população botucatuense cada vez mais e também atrair pessoas de outros municípios”, emenda.

{n}O Festival{/n}

O Festival do Saci foi idealizado por um grupo de pessoas que fundaram a Associação Nacional dos Criadores de Sacis. Para esses “criadores” o folclórico personagem do Saci encontrou nas florestas de Botucatu o seu verdadeiro lar.

Imortalizado por esses moradores – que fazem questão de dizer aos visitantes que os criam, o personagem ganhou essa Associação, com sede no município, evidentemente com o intuito de fomentar o folclore. Por causa disso, a cidade passou a ser também conhecida como a Capital Nacional do Saci.

A “presença” do Saci em Botucatu ganhou tal repercussão que foi feito uma reportagem sobre o assunto pela produção da apresentadora Ana Maria Braga, da Rede Globo de Televisão sobre este personagem folclórico vagando pelas matas botucatuenses. Nessa reportagem exibida a nível nacional, muitas pessoas, conhecidas da sociedade botucatuense se manifestaram dizendo-se “criadores” de Saci.