“Expert” da gaita toca com Orquestra Sinfônica

Na próxima segunda-feira (11), às 20h30, a Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu se apresenta no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci. O concerto gratuito contará com a participação especial do gaitista José Staneck.

Bastante conceituado no meio musical, Staneck desenvolve um estilo próprio. Mistura elementos da música clássica, popular brasileira e do jazz, que se fundem a serviço de uma sonoridade e expressividade marcante. Estudou com maestros e compositores renomados e em 2007 obteve o título de Mestre em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UniRio.

Como diretor durante 15 anos da Musiarte – Curso Integrado de Música, desenvolveu importante trabalho na área do ensino. Atualmente viabiliza um trabalho social de inclusão cultural, atendendo comunidades carentes e projetos sociais com o ensino de música através da gaita para crianças em diversos locais do Brasil. Também atua com diferentes formações “camerísticas”, e já foi solista de diversas orquestras sinfônicas brasileiras e internacionais.

 

Sobre a Orquestra

 

A Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu (OSMB) originou-se no ideal de dois músicos botucatuenses: José Antônio M. de Marchi e Celso W.Cardoso. Estudantes do conservatório Carlos de Campos, em Tatuí (SP), eles vislumbraram a possibilidade de criar um conjunto musical em Botucatu.

Os primeiros ensaios tiveram início em outubro de 1986. A estreia aconteceu em 21 de dezembro do mesmo ano, durante o Festival de Natal no salão social do Botucatu Tênis Clube (BTC).

Nomes como o do senhor Progresso Garcia, entusiasta atuante na Câmara, ajudaram que oito meses depois fosse assinada a Lei Municipal que deu criação à Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu.

Desde o início, a OSMB teve vida intensa. Realiza concertos em Botucatu e em toda a região do Centro-Oeste paulista, participando diversas vezes do Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Música de Londrina e do programa “Viola Minha Viola”, da Rede Cultura de Televisão. Também se apresentou na melhor sala de concertos brasileira: a Sala São Paulo.