“Botuáfrica” é destaque na Revista Casa Claudia

O projeto “Botuáfrica” que produz arte, moda e design, por meio de oficinas gratuitas de geração de renda inspiradas na cultura africana foi destaque de uma das páginas da revista Casa Claudia, especializada em decoração e design, veiculada em todo o Brasil.

A edição de número 612 do mês de agosto da revista traz na página 59 da editoria “Planeta Casa – ideia e produtos para um mundo sustentável” a matéria “Brasil ? mesa” que aborda os produtos produzidos nas oficinas do projeto “Botuáfrica”.

O projeto que surgiu em 2010 foi idealizado pela Assessoria de Políticas de Promoção da Igualdade e Ações Afirmativas e conta com a parceria do Instituto Botucatu sob a curadoria e coordenação geral de Silvia Sasaoka. Participam dele 40 integrantes do projeto “Evoluir”, do Bairro 24 de maio, e projeto “Pérola Negra”, do Parque Marajoara. Eles produzem roupas e acessórios feitos de tecidos estampados ? mão, baseados na cultura africana e afro-brasileira.

A matéria com foto de Malu Oristanio aborda a inspiração das cores utilizadas nos padrões das toalhas de mesa de tricoline confeccionadas pelo projeto. As toalhas são a primeira remessa dos trabalhos desenvolvidos pelo “Botuáfrica” e custam entre R$40 (1x1m) e R$145 (2,50x 1,50m) de acordo com a medida.

O texto também destacou o trabalho desenvolvido pela artista Monica Nador e do designer Renato Imbroisi, ambos responsáveis pela direção de arte e estamparia e direção artística e desenvolvimento da coleção de produtos.
Para a coordenadora do Instituto Botucatu, Silvia Sasaoka, a publicação nesta revista que possui uma quantidade grande leitores de todo o País irá impactar na comercialização dos produtos do projeto.

“Nossas multiplicadoras estão aptas para encomendas. Elas estão participando de oficinas de de gestão de negócios promovidas por voluntários. A primeira oficina foi realizada pelo estudante de economia do Colorado College, Tanyu Yuba dos Estados Unidos”, conta.

Conceição Vercesi, assessora municipal de Políticas de Promoção da Igualdade e Ações Afirmativas, afirma que o projeto pretende preparar novos multiplicadores em Botucatu e só está dando certo graças ao esforço, empenho e dedicação de todos os envolvidos.

“O papel da Prefeitura por meio da Assessoria é de apoiar iniciativas e contribuir para que estas se desenvolvam. As ações que vem sendo implementadas em todas as áreas de atuação do Poder Público visam garantir a inclusão e corrigir as desvantagens históricas, e por meio de Políticas de Promoção da Igualdade e Ações Afirmativas fortalecer a cultura africana e afro-brasileira em nosso Município”, reforça Vercesi.