“Boêmios de Adoniran” dão show no Teatro Municipal

Fotos: Valéria Cuter

O Teatro Municipal de Botucatu viveu um final de semana extasiante para quem aprecia o trabalho de um dos maiores sambistas da Música Popular Brasileira (MPB) e pai do samba paulista: João Rubinato, ou Adoniram Barbosa, como ficou nacionalmente conhecido. O espetáculo musical “Os Boêmios de Adoniran”, faz uma homenagem a um dos maiores sambistas do Brasil também conhecido como o poeta do povo, que morreu em 1982, aos 72 anos de idade, deixando dezenas de sambas de muito sucesso.

Interpretado pela Companhia Interiorando de Teatro o espetáculo com a criativa direção de Milton Machado e texto de Juliana Lucilha, resgata a história do samba paulistano. O público botucatuense visualizou através de uma historia fictícia, personagens criados pelo compositor em suas canções. “Pra escrever uma boa letra de samba, a gente tem que ser, em primeiro lugar, anarfabeto”. Esta foi uma das muitas frases de efeito ditas por Adoniram quando questionado sobre a simplicidade de suas letras.

Em cena, dez atores e quatro músicos contam histórias particulares que se misturam ? do samba e da boemia de São Paulo. Impulsionado pelo recebimento de uma carta, o personagem João retorna ? Rua Aurora, trinta anos após de ter se mudado.

Lá encontra então Jacó, um velho turco que nunca abandonou o centro da cidade e, com ele, relembra histórias do passado onde a música, o modo de vida simples e a boemia paulistana estavam sempre presentes, abrilhantadas pela interpretação ao vivo das músicas de Adoniran Barbosa.

Nascido em Valinhos (SP), o compositor encontrou no Bairro do Bexiga, em São Paulo, a sua principal fonte de inspiração para criar canções inesquecíveis, que fazem parte do rol dos maiores sambas brasileiros do século XX, entre elas “Trem das Onze”, “Saudosa Maloca”, “As Mariposas”, Acende o Candieiro; Iracema; Abrigo de Vagabundos: Samba do Arnesto: Tocar na Banda: “Tiro ao Álvaro”, Envelhecer é uma Arte; e Viaduto Santa Efigênia.