FUTEBOL DE RUA, O VERDADEIRO FUTEBOL

Nos dias de hoje, com raríssimas exceções, já não existe mais, porém no passado o futebol de rua marcou época na vida de muitos garotos, pois a sua prática obedecia determinadas regras “sui generis”, senão vejamos:

– A BOLA podia ser de meia, borracha, bexiga de boi e até de capotão quando no Natal algum “filhinho de papai”ganhava uma pelota novinha e virava dono do time, valia ainda qualquer coisa que rolasse tais como latinha amassada de refrigerantes e garrafas de plástico vazias…

– O GOL não havia travessão e as traves eram marcadas com paralelepípedos, tijolos, chinelos e até com cadernos e livros daqueles que chegavam da escola…

– O CAMPO ficava no meio da rua servindo as calçadas, quando existiam, como as laterais…

– DURAÇÃO DO JOGO oficialmente era o famoso “5 vira e 10 acaba ou até quando o dono da bola era puxado pela orelha para ir fazer a lição de casa…

– FORMAÇÃO DOS TIMES não havia número definido de participantes porém “neguinho” ruim de bola era goleiro, perneta era ponta esquerda ou direita dependendo do seu “pé bom”, gordo era beque e o de óculos era meio de campo para não levar bolada…

– INTERRUPÇÃO o jogo só era interrompido quando passava alguma garota muito gostosa ou veículo pesado tipo ônibus ou caminhão, a bicicleta ninguém respeitava …

– ABANDONO DE CAMPO, quando o vidro da janela do vizinho era quebrado a debandada era geral…

– JUSTIÇA DESPORTIVA era observada a lei do mais forte, mas o dono da bola sempre tinha razão….

Fomos privilegiados, pois pegamos essa fase áurea dessa modalidade tendo atuado pelo time da minha rua, da rua de cima e de baixo, porém não me sai da memória o time do AREIÃO cujo campo ficava ali nas ruas do jardim onde hoje estão instalados o Cine Neli e o Centro Cultural, suas traves eram os coqueiros e árvores do jardim e onde jogávamos com amigos daquela época, tais como: DEMINHA OLIVEIRA; LUIZ PRETINHO; GUINA CAMARGO; ALBERI CRUZOLINE; ROBERTO GUELLI; JOÃO FIGUEIROA (morava em frente); JOÃO GALINHA; NENÊ GARCIA; LIMA LACERDA; os irmãos VALTER CARRANCA e VARDIR RISADINHA; TAKO, etc…
“Tempo bão não vorta mais…”

{n}SE É FOTO É FATO

SUB 11 DO CRAVEIRÃO {/n}

{bimg: 28575:alt=interna:bimg}

No lar filhos obedientes, na escola alunos aplicados, no esporte praticantes dedicados, essa é a rotina de garotos sadios e de bons costumes.

Na foto anexa, antes de proveitoso coletivo no Craveirão, posam os sobrinhos, amigos e alunos da Professora Lilia Arbex, assim alinhados:

De pé: JOÃO PEDRO, famoso Adriano; GIUSEPPE; CASSIANO; árbitro GUSTAVO; FELIPE; DANIEL; BRUNO; PAULO DIONÍSIO e o MOISÉS, nosso Julio César.

Mais a frente: MARCUS VINÍCIUS; JOÃO PEDRO BAZZO e o THIAGÃO.
“MENS SANA IN CORPORE SANO”

{n}EPÍLOGO:{/n}

“QUANDO A GENTE ACHA QUE JÁ SABE TODAS AS RESPOSTAS, VEM A VIDA E MUDA TODAS AS PERGUNTAS”