CAFÉ – 1953

Para vivermos o presente e construirmos o futuro há necessidade de conhecermos o alicerce do passado, pois juntos o passado, presente e futuro formam o AGORA, o HOJE.

Em razão disso, nosso trabalho de hoje, recorda aquela magnífica equipe do CLUBE ATLÉTICO FAZENDA ESTADUAL, famoso CAFE, formado para lazer dos funcionários daquela Instituição, que na foto anexa, posa em Antonio Delmanto, ano 1953, assim alinhada:

Em pé: Grande Cartola JACOB MARABÁ – Atletas ALEXANDRINO TECHIO – MIGUEL – NATAN – AFONSO RAUL – ANTONIO ALVES LARA – CIRO PIRES –
de posse do troféu a Madrinha ALICE P. MELO e o JOSÉ GARCIA (STIRACA).
Abaixados: DANTE BIRAL – ANTONIO PADOVAN LEÃO – VICENTE DE PAULA BARROS – PEDRINHO e o ARISTIDES JACÓ.
Alguns desses amigos já nos deixaram e descansam em Paz…

{n}NOSSO ESPORTE NOSSA GENTE:{/n}

Atleta de Cristo, JESUÍNO era um atacante de “prima” com quem tivemos a oportunidade de atuar juntos lá na distante Manduporanga, no gramado era um “corisco”, porém fora dele seu raciocínio era “meio devagar”.

Certa ocasião, após nossa vitória no derbi local quando sensacionalmente marcou o gol decisivo, voltou chorando para os vestiários falando baixinho:
-“Nóis ganhemo o jogo, mas eu perdi, perdi sim meu crucifixo no gramado, estou fora de mim”.

-Calma SANTO, era esse seu apelido, vamos todos lá ajudá-lo a procurar, como ele é???

-“De madeira, piquininho assim, tem seis méis e sua marca é INRI “ !!!
São coisas do futebol….

{n}EPÍLOGO:{/n}

“NUMA LUTA DE BOXE, O JUIZ É O ÚNICO DENTRO DO RINGUE QUE SABE CONTAR ATÉ 10”.