UMA VITÓRIA DE PESSOAS DO BEM

Em meio a uma contagiante animação, os servidores beneficiários do FUSS – Fundo Social dos Servidores da Faculdade de Medicina e Hospital das Clínicas – escolheram, através do voto, no último dia 4 de agosto, a diretoria que irá comandar os destinos daquele importante órgão social, nos próximos dois anos.

Foi uma eleição de altíssimo nível, tipicamente democrática e que perdurou por todo o transcorrer daquele dia (aproximadamente 11 horas), ocasião em que os funcionários puderam optar pela melhor escolha e congraçar sobre um importante momento: o de unir idéias e ideais em prol da comunidade unespiana.

Como sempre ocorre nesses momentos, de novo, algumas “lideranças” tentaram, através dos mais variados artifícios, “vender o seu peixe”; porém, pelo prazo de validade do mesmo estar ultrapassado e, especialmente, pelo fato dos servidores estarem de olhos bem atentos aos interesses da categoria, não conseguiram o seu intento.

Eis que, mais uma vez Deus mostrou a sua força e não deixou de apoiar os intentos de um grupo de pessoas que pauta pelo bem geral. De novo um projeto voltado para ajudar a quem precisa, muito especialmente, os funcionários que prestam serviços na Faculdade de Medicina e Hospital das Clínicas (não importa de qual regime de trabalho), teve aprovação nas urnas, num pleito realizado com muito entusiasmo. Claro que a maioria dos votantes aprovou um plano projetado por quem “abraça” as pessoas; pessoas em quem um dia (se precisarem) poderão contar, ou melhor, num determinado momento desta nossa vidinha passageira (caso necessitem) terão a certeza de um apoio incondicional.

Obviamente, que os trabalhadores da nossa Universidade, tem o privilégio de estarem bem empregados e conviverem com uma situação econômica satisfatória, diante de uma maioria que sequer consegue um minúsculo salário para sobreviver, no entanto, não podemos esquecer que todos “nóis” fazemos parte de uma população que vive sob pressão de “meia dúzia de picaretas” que se acha dona deste rico Brasil, consequentemente, o nosso amanhã sempre será imprevisível.

A Chapa Transparência, que oferecia aos funcionários, como proposta de gestão, entre outras coisas, um atendimento social diferenciado – tanto que o slogan da campanha era: AJUDAR A QUEM PRECISA – acabou vencendo com uma significativa diferença de votos (455 contra 286). Com tranqüilidade esse grupo de cidadãos do bem conseguiu, de um jeito bastante simples, conquistar uma grande vitória.

Também, quis Ele, o nosso Protetor, que dentre os componentes desta chapa, eu fosse o escolhido para capitanear esse “time” de funcionários com bons propósitos, que priorizou, na sua planilha de propostas, trabalhar, trabalhar, trabalhar e cuidar das pessoas. Com muita satisfação, adicionarei ao meu plano de vida, para os próximos dois anos, não só trabalho, mas uma dedicação refinada, séria e, acima de tudo, transparente em prol do nosso FUSS.

Enfim, como já estou acostumado com o meu sofrido cotidiano, mais especialmente, em “comprar” as dificuldades alheias, não será desta vez, que irei “pipocar”. Com certeza, eu e os meus outros cinco amigos integrantes do grupo (Ademir Florian, Maria Sueli Zanchita França, Fernando Rizzo, Carlos Roberto Correa e Benedito da Silva) seguiremos ? risca tudo o que prometemos em troca do voto. Se Deus quiser o nosso FUSS continuará marchando ao encontro do mais alto degrau do crescimento.

Meu carinhoso abraço desta semana é endereçado especialmente a um leitor assíduo dos meus “contos” semanais, (também solidário ao irmão menos favorecidos) e que, lá atrás, junto do saudoso Professor Oswaldo Minicucci, “emprestaram-me” um pouquinho das suas muitas qualidades como educadores: meu querido amigo Professor Shirley Lessa. Caro Mestre, o nosso berço sempre faz a diferença. Se hoje alguém admira o meu jeito simples de contar “causos”, é porque um dia, outro alguém, proporcionou-me a chance desse aprimoramento. Sinto muita saudade dos seus ensinamentos.

{n}Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com