UM ANO MARCADO PELA SOLIDARIEDADE.

“… Marcas do que se foi, sonhos que vamos ter; como todo dia nasce, novo em cada amanhecer.,,”. Quem não se lembra dessa beleza, aliás, muito bem colocada em forma de mensagem de final de ano aos telespectadores de uma poderosa emissora de televisão em décadas passadas? Além de bonitos e verdadeiros, estes dizeres simbolizam a esperança de um amanhã mais promissor.

Pois bem, nada melhor do que voltar ao tempo e utilizar essas mesmas palavras para desejar aos leitores dos meus “causos” semanais um Feliz e Próspero 2012.

Com as graças DELE, o Protetor do Mundo, tivemos muita prosperidade durante todo o ano que se encerrou e esperamos ter a mesma sorte no decorrer deste que está se iniciando. Exatamente como disse no título deste texto, tive a felicidade de festejar, juntamente com outras figuras expressivas na arte de “se dar as mãos”, de UM ANO MARCADO PELA SOLIDARIEDADE.

Nos 365 dias em que estivemos ? disposição de muita gente que sequer tinha forças para gritar por socorro, realizamos muita coisa (muita mesmo), algumas delas, em situações desesperadoras e que, inclusive, contou com total e irrestrito apoio da população botucatuense.

Em momento algum nos faltou “pique”. Foi assim quando uma chuva de granizo destelhou uma imensidão de barracos por toda a periferia da cidade (naquela oportunidade, o nosso abraço com a comunidade proporcionou a compra de uma quantidade enorme de telhas; mais de vinte e cinco famílias foram socorridas) e no temporal que caiu sobre a cidade e vitimou muitas famílias que perderam tudo o que possuíam.

Não foi diferente quando, também através da Rádio, chamamos a população para nos ajudar na compra de uma cadeira de rodas motorizada que seria destinada a um irmão com deficiência física, que queria e necessitava trabalhar.

Fato idêntico aconteceu quando o nosso anseio era agradar a maioria das crianças botucatuenses, muito especialmente, a gurizada carente. Ao lado de parceiros tradicionais (Rádio Municipalista, “Diário da Serra”, Sabesp, FUSS, ASU, Polícias Civil e Militar, Guarda Municipal, Sindicato dos Bancários, OAB – Botucatu, Grupo de Amigos Voluntários, entre outros) levamos adiante, com muito sucesso, a 11ª Campanha dos Brinquedos. Essa corrente conseguiu angariar fundos para a compra de pouco mais de 15 mil brinquedos. Êta coisa prazerosa que é poder entregar, próximo do Natal, um “presentinho” a uma criança carente!

Simplesmente dessa maneira foram todos os lances que nos premiaram com um ano repleto de muita satisfação. Pena que nessa nossa estada por este mundo incerto e passageiro, nem sempre conseguimos uma felicidade plena. Lamentavelmente, durante esse mesmo período em que conquistamos muitas glórias, alguns dissabores machucaram um pouquinho o nosso coração, mostrando-nos o outro lado da moeda.

A partida de alguns amigos que nos deixaram para ir morar no céu, dentre os quais, a nossa querida e inesquecível Daniele Deléo, sem sombra de dúvidas, foi o quê de mais lamentável tivemos que enfrentar; no entanto, não temos como fugir dessa triste realidade, pois estamos e sempre estaremos ? mercê das vontades do nosso Pai.

Enfim, a vida é mesmo assim. Amarguras ? parte, vamos em frente. Que Deus, o Todo Poderoso, nos propicie um ano tão lindo como esse que deixamos para trás e que, com suas bênçãos, possa nos oferecer momentos e mais momentos de satisfação e alegria e, se possível, livre dos dissabores como a perda de um ente querido.

Que o nosso Pai também nos ofereça caminhos para que possamos (todos nós, desde o cidadão mais simples, até aquele que se acha poderoso) valorizar, cada vez, mais o sentido da palavra IGUALDADE, até porque, perante Ele somos todos iguais.

Com o coração pulsando mais lentamente, envio, em forma de homenagem póstuma, o meu carinhoso abraço desta semana a um dos homens mais fortes que o esporte “botucudo” teve nos últimos tempos; um ser humano muitíssimo valioso, leitor das minhas narrativas semanais e filho do saudoso amigo Professor Jonas Alves de Araújo que, na virada do ano, nos deixou para ir ao encontro do Senhor: meu grande amigo Carlos Alberto Alves de Araújo.

Querido Carlão, perdoe-me por não ter me despedido de você; infelizmente, quando soube dessa tragédia que abalou toda a nossa cidade, você já não mais estava entre nós. Descanse em paz querido amigo. Tenha certeza, grande companheiro, a nossa querida Botucatu está enlutada, pois, perdeu um dos seus maiores expoentes. Até qualquer dia, respeitável amigo.

{n}Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com