SAMU: UMA DAS MAIORES CONQUISTAS DA NOSSA GENTE

Ainda que existam, entre nós, meia dúzia de cidadãos que se acham influentes e que, a todo custo, tentam questionar, ou melhor, ignorar as maravilhas conquistadas pela população botucatuense nos últimos anos, a verdade é que a nossa gente, de fato, vem sendo contemplada com inúmeros benefícios, especialmente na área da saúde. Uma das últimas benfeitorias realizadas em atendimento ? s necessidades do nosso povo foi a implantação do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – em nossa cidade. Não tem como dimensionar a importância desse serviço aos munícipes “botucudos”.
Dias atrás, deparei-me com um quadro “pra” lá de desesperador que justifica amplamente todo este meu espanto. Perto do horário do almoço, fui chamado ? s pressas para socorrer um trabalhador da ALL – América Latina Logística – que estava caído na beira da linha férrea, próximo ao meu ambiente de trabalho, onde ele, juntamente com outros trabalhadores, fazia reparos nos trilhos da referida ferrovia.

Apesar de ter “nascido” no Hospital das Clínicas da UNESP, afinal sou funcionário deste brilhante complexo hospitalar há quase quarenta e cinco anos, confesso que não consegui fazer outra coisa, senão pedir socorro. De imediato acionei o Corpo de Bombeiros e relatei o ocorrido. Como de costume, o pessoal desta valiosa corporação dispensou toda a atenção, porém me orientou a ligar para o SAMU.

Que beleza de atendimento foi prestado a este trabalhador braçal! Primeiramente, em razão da presteza da equipe de profissionais do SAMU que chegaram onde o cidadão estava caído, em menos de dez minutos e, mais ainda, pela maneira competente como o médico, Doutor Iver Franco Ramires e os profissionais de enfermagem, tendo ? frente o grande enfermeiro e amigo de longa data, José Martins de Souza Neto, atuaram no caso. Não dá para acreditar, mas até o Eletrocardiograma foi feito no local.

Claro que após os primeiros socorros realizados ao lado da linha férrea que, inclusive, foi muito importante para a sua recuperação, o referido cidadão (mais um entre os inúmeros trabalhadores brasileiros que são explorados, com anuência do Ministério do Trabalho, por seus patrões) foi encaminhado ao nosso Pronto Socorro. Alguns dias depois, vim a saber, através dos seus colegas de serviço, que o trabalhador já estava em repouso em sua residência. Que maravilha!

“Bão”, para mim que sei do comprometimento dessas duas corporações – tanto o Corpo de Bombeiros como o SAMU – com o bem da nossa população, não foi surpresa nenhuma presenciar um atendimento tão rápido e adequado, sobretudo por não ter sido a primeira vez que me deparei com casos semelhantes em que o dever de exercer a nossa cidadania é primordial.

Difícil é aceitar que ainda existam pessoas que ignoram situações de emergência como esta. Lembro-me com muita tristeza das muitas besteiras ditas por algumas figuras “importantes” (que utilizam sua “inteligência” somente em favor dos seus próprios interesses) no último pleito eleitoral, aliás, todas sem fundamento, porém, que denegriam a atuação de algumas unidades de saúde do município, entre as quais, o Pronto Socorro Municipal. Chegaram até a usar a dor de uma família que havia perdido, prematuramente, um ente querido, para fazer politicagem. Quanta estupidez!
Enfim, a vida continua do mesmo jeito: enquanto uns batem palmas, outros atiram pedras. Para minha felicidade, mais uma vez, Deus me proporcionou a oportunidade de aplaudir de perto o belo trabalho que exerce esta unidade de saúde móvel ao público, a um cidadão desesperado, cuja saúde necessitava, urgentemente, de cuidados especiais.

Parabéns, queridos amigos (todos, indistintamente) componentes do quadro de funcionários do SAMU, pelo excelente desempenho de sua função ? população residente na hospitaleira e sempre solidária “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS”.

Parabéns, Prefeito João Cury Neto, pela capacidade em conseguir para nossa amada Botucatu empreendimentos de tamanha relevância. Com certeza, o nosso município, que há dois anos consecutivos ostenta o título de cidade mais segura para se viver bem, num curtíssimo espaço de tempo, será também uma cidade modelo na área da saúde.

Meu fraternal abraço desta semana é endereçado, especialmente, a todos os leitores (dezoito) que me parabenizaram pelo texto que fiz em homenagem aos 73 anos da PRF8 Rádio Emissora de Botucatu.
Com o mesmo carinho abraço outro grande parceiro das causas em favor do próximo: meu amigo e leitor assíduo das minhas narrativas aqui nesta coluna, José Carlos Pulini, o moço da VIDROCOR TINTAS.

{n}Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com