RECORDAR É VIVER…

 

Quem de “nóis”, brasileiros, não se lembra dessa frase: Recordar é viver…? Aliás, este título é um dito popular muitíssimo verdadeiro; uma pérola que compõe a letra de uma marchinha carnavalesca dos velhos tempos, que “faz a diferença” em todos os bailes do Rei Momo, realizados por este Brasil afora.

Você pode estar pensando que vou falar de carnaval, até porque, a partir de hoje à noite, muitos clubes sociais de toda a nossa vasta região (o “Dragões da Vila”, por exemplo) pretendem unir os foliões para a festança do CARNAVAL 2016. Amanhã, se Deus quiser, chacoalharei o corpo no “Dragões da Vila” e na sexta-feira que vem, a convite dos amigos Doutores Eduardo Torres e Junior Colenci, no Botucatu Tênis Clube!

Ledo engano! Estou utilizando essas palavras verdadeiras, tão somente para “matar saudades” de um grande amigo que hoje mora no céu e que, com certeza, está “agitando” todo o Paraíso com o seu coração generoso: meu inesquecível “paizão” e amigo Plínio Paganini.

Prezado leitor, recebi do sempre simpático e atencioso Antonio Cecílio Junior, o Juninho da Cine Vídeo Locadora, via whatsApp, um vídeo onde o “Gugu” Liberato, ainda moço, recebia em um dos seus programas das tardes de domingo, os mais variados convidados de todo o Brasil, no “badalado” quadro CIDADES contra CIDADES.

Que maravilha! Que coisa linda de se ver! Apesar do “balanço” pela saudade sentida ao rever (mesmo em vídeo) essa figura maravilhosa – que sempre faço questão de dizer, me inseriu neste mundo chamado SOLIDARIEDADE – e, ao mesmo tempo enaltecer a maneira como o povo botucatuense sempre amparou um irmão necessitado. Adorei!

O vídeo é trecho do programa exibido e revela, com muita propriedade, entre outras coisas, o quanto a nossa gente é bondosa. Na oportunidade dos fatos (década de 90), Botucatu que era administrada pelo Prefeito Professor Joel Spadaro (aliás, relembrei dos tempos em que o unespiano de mais prestígio entre todos os botucatuenses, ainda tinha cabelos e bigode pretos), levou uma comitiva composta de botucatuenses até a capital paulista, para participar de uma “gincana do bem”, cujo alvo de todos era arrecadar recursos para a manutenção de algumas instituições assistenciais do município que, lá atrás, infelizmente, já enfrentavam dificuldades de sobrevivência.

Nossa cidade com pouco mais de 85 mil habitantes disputou com Volta Redonda, um progressista município do Estado do Rio de Janeiro cuja população passava dos 320 mil volta-redondenses.

Acredite! Nossa hospitaleira e solidária Botucatu que havia entrado na disputa “defasada” de habitantes – afinal o nosso adversário tinha uma população quase quatro vezes maior – mesmo assim, conseguiu arrecadar quase o dobro do que foi angariado pelo povo carioca. Glória! 

Confesso que não só “matei saudades” do meu velho e inseparável amigo, orientador dos bons e parceiro em tudo quando o assunto era SOLIDARIEDADE, mas, principalmente, voltei o meu coração ao tempo e rememorei as diversas campanhas que realizamos em Botucatu, junto com a tradicional PRF 8 Rádio Emissora. O tradicional jogo dos “Profissionais em Férias” foi uma delas; por sinal nestes jogos, nasceu para o Brasil, a ideia de trocar o ingresso por um quilo de alimento não perecível, quando da realização de eventos filantrópicos.

Quis Deus que o tempo passasse e “nóis” não perdêssemos o gosto de continuar abraçando as mais variadas causas nobres, especialmente, aquelas em que alguns dos nossos irmãos são amparados.

Querido leitor, sem nenhum tipo de exagero podemos afirmar que nossa aconchegante, acolhedora e hospitaleira “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS”, que jamais deixou de ser um “cantinho” magnífico para se viver bem, onde as pessoas partilham o pão com muita facilidade e, porque não dizer, um “pedacinho de chão” onde a força do “se dar as mãos” sempre se faz presente, pode, perfeitamente, ter gravado em seu slogan algo que simboliza fortemente solidariedade e generosidade, até porque, o nosso povo é amável demais.

Enfim, outra vez utilizo o espaço a mim reservado, semanalmente, nesta coluna, para enfocar um assunto que me proporciona alegria, satisfação e um orgulho enorme de ser botucatuense. Que Deus, o Dono do Universo, continue nos ofertando momentos de muita esperança por um mundo melhor para todos; uma expectativa de dias melhores, especialmente para os nossos irmãos menos favorecidos pela sorte e também, uma fraternidade capaz de suprir ou minimizar o déficit da nossa tão sofrida desigualdade social, a fim de agradecer a ELE pela vida que temos.

Envio o meu fraternal abraço desta semana a uma família inteirinha (a família Moraes). Na última sexta-feira, juntamente com o meu irmão Rodrigo Amat Scala, outra figura impar da nossa sociedade, estive ao lado de quase todos os integrantes dessa “baita” preciosidade da comunidade “botucuda” festejando o aniversário do belo casal Fátima Moraes e Irineu Alves da Costa, o meu estimado amigo “PGC” e do também amigo Valmir Ruas dos Santos, lá no belo espaço Q Tal. Além do tradicional “Parabéns à Você”, cantado por todos, nos “envolvemos” com muitas “redondinhas” e um “punhado” de apetitosos espetinhos.

Passamos algumas horas em meio à muita festa, aliás, o “menino de ouro” que fez sucesso, meses atrás, no Programa do Ratinho, Rodrigo Montenegro, simplesmente “arrebentou” por lá. Fez tudo e mais um pouco daquilo que mostrou no famoso programa do SBT. 

Rubens de Almeida – Alemão

alemão.famesp@gmail.com