PROFESSOR TRAJANO SARDENBERG É O NOVO VICE-PRESIDENTE DA FAMESP

Êta “nóis”! Como é bom receber notícias que alegram a nossa alma; ainda mais quando nos chegam de maneira surpreendente e trazem consigo uma boa nova, e com ela o nome de uma pessoa diferenciada, dessas que despontam por onde passam.

 Em atenção aos meus valiosos leitores, preparava-me, na noite da última terça-feira (18/08), para “falar” um pouquinho sobre o que penso dessa verdadeira “emboscada” que todos nós brasileiros estamos tendo de enfrentar. Minha gente, aqui neste país abençoado por Deus (apesar de muita gente só lembrar DELE quando a água bate no bumbum) tudo (tudo mesmo) ficou muito difícil de uma hora para outra.

Buscava (mesmo a contragosto), num cantinho especial da minha preciosa moradia, inspiração suficiente que me motivasse a deixar minha opinião, como cidadão, sobre as manifestações que ocorreram Brasil afora, no domingo passado, o que demonstrou a total indignação da nossa gente em relação aos descasos cometidos pelo Governo Federal, mais especificamente sobre esse “tsunami” de corrupção que parece não ter fim e, ao mesmo tempo, repudiar determinadas posturas que “estiveram” presentes nesse “movimento” extremamente democrático; no entanto, naquele mesmo instante, através do amigo Professor Pasqual Barretti, recém-empossado Diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu, fui informado de que o também amigo e parceiro das causas do bem, Professor Doutor Trajano Sardenberg, tinha acabado de ser eleito, pelo Conselho de Administração da FAMESP (Fundação Para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar) como novo Vice-Diretor Presidente daquela progressista Fundação.

Evidentemente que, de imediato, troquei os meus intentos e resolvi premiar os meus “acompanhantes” que ora lêem estas linhas, com um assunto muito mais agradável. Porém, mesmo tendo optado por mudar o rumo desta minha “prosa”, preciso pedir licença a você, caro leitor, para fazer apenas um questionamento em relação ao assunto que havia me proposto a debater, pois ao contrário, certamente, ficaria “engasgado” por alguns dias: o quê explica aquela farsa montada por um número medíocre de “companheiros”, pagos com cerveja e churrasco (certamente, com o nosso dinheiro) ocorrido no ABC Paulista – no mesmo horário das manifestações do povo brasileiro – que tentava pregar, a todo custo, palavras de ordem em prol de políticos que afundaram o Brasil e que estão presos, ou na mira do Ministério Público, da Polícia Federal e do Tribunal Federal? Com certeza, ninguém (nem mesmo aqueles “pau mandados” que participaram daquela vergonha) sabe explicar como e porque aquela vergonha foi programada. É “companheirada”, desta vez, acho que a “vaca foi pro brejo”, ou melhor, a “teta” secou de vez!

Desabafos à parte, até porque, tão logo recebi a notícia de que o grande Doutor Trajano, um ex-aluno da Instituição UNESP que, apesar de jovem, já alcançou a glória de ser considerado um dos maiores ortopedistas do Brasil, especialista em mãos e cujo currículo conta também com inúmeras passagens por todos os colegiados representativos da FM e da Universidade (sempre eleito pelo voto), com quem, há vários anos partilho uma amizade bastante respeitável, vai ajudar a nossa FAMESP superar essa crise indigesta que vem enfrentando, já há alguns meses, por conta desses abusos do Governo Federal e, mais ainda, pelo não cumprimento de diversos compromissos assumidos pelo Governo do nosso Estado.

Que “baita” notícia! Acho que mais uma vez, “nóis” que fazemos parte da comunidade de servidores da Faculdade de Medicina, do Hospital das Clínicas e da FAMESP (Docentes e funcionários técnico-administrativos), cuja missão é oferecer um serviço de saúde de qualidade a um número incalculável de pessoas de Botucatu e da sua vasta região; e que, temos na FAMESP a “mola propulsora” a nos ofertar uma tranquilidade muito grande no sentido desse propósito, de fato, poder acontecer, temos que agradecer a Deus por conquistarmos esse maravilhoso presente.

Como funcionário antigo da UNESP – aliás, estou nesse “barco” desde os tempos em que o nosso Hospital das Clínicas pertencia à extinta Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB) e era administrado pelo saudoso Doutor Valter de Souza – e, mais ainda, por conhecer o potencial desse grande cidadão, sem dúvida alguma, uma das maiores grandezas dentro do quadro de Docentes da Faculdade de Medicina, posso afirmar, sem medo de errar, que voltei a ter esperança em ver o eterno Hospital das Clínicas de Botucatu, de “vento em popa” e, o mais importante, os seus funcionários vivendo num clima de muito trabalho, união e fé.

Nós que já tínhamos na vanguarda dessa imensa “ciranda” que tenta aos “trancos e barrancos” – mas, com muito comprometimento – dar um norte positivo ao cotidiano dessa importantíssima “Casa de Saúde” da região, chamada de HC da UNESP, queremos crer que, com essa escolha, dias melhores, logo, logo, virão.

Parabéns, grande “companheiro” Doutor Trajano Sardenberg, pelo brilhante reconhecimento alcançado. Tenha absoluta certeza meu irmão, a FAMESP, bem como o HC, precisam muito do seu dinamismo, da sua bagagem e do seu talento.

Aproveito toda a beleza desta notícia – por sinal, maravilhosa e que certamente, em curto prazo, trará resultados positivos a todos nós – para convidar toda a população botucatuense a assistir o CONCERTO INTERNACIONAL de Violino e Piano (Alfredo Ardanaz & Noemi Dalmau), que acontecerá, na noite da próxima terça-feira, (25/08), a partir das 20 horas, no auditório do Colégio Santa Marcelina.

Toda arrecadação deste evento será destinada à Casa Pia São Vicente de Paula, o nosso aconchegante e carinhoso Asilo “Padre Euclides”. Vamos prestigiar!

Meu fraternal abraço desta semana é endereçado aos meus amigos Doutor Newton Colenci e Olavo Pinheiro Godoy, membros da Academia Botucatuense de Letras que semanalmente me proporcionam um orgulho enorme lendo os meus artigos aqui publicados.

Com carinho semelhante também abraço outra figura especial da minha volumosa galeria de amigos, o Professor Julio Nakagawa. Para minha satisfação soube que ele me acompanha desde os tempos em que, prazerosamente, escrevia para a “A GAZETA ESPORTIVA”. Quanta honra! Obrigado Professor!

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com