JARDIM SANTA ELIZA: DA SOFRIDA MISÉRIA A UM FRANCO DESENVOLVIMENTO

É isso mesmo! Jardim Santa Eliza: da sofrida miséria a um franco desenvolvimento! Confesso que jamais imaginaria ver esse sofrido lugarejo – por sinal, foi lá, na década de 90, em meio à um “montão” de barracos e famílias sofridas que nasceu esse nosso gosto pela arte de “dar as mãos” – alcançar todo o progresso que conquistou nos últimos sete anos.

Como é prazeroso o passar dos anos pra quem gosta de contar histórias! Não menos agradável é poder recordar, com muita alegria, as inúmeras e frequentes cenas de pobreza e miséria que presenciávamos (eu, o João Reche, Presidente do Rotary Clube Bons Ares; Luiz Rogério Peres, atual Presidente da ACE/CDL; José Adelino Filho, o “Japa” da Sabesp; nosso saudoso e inesquecível amigo Carlão Amaral, que hoje mora no céu, entre outros) que tentávamos solucionar. Evidentemente que era nada fácil atender tudo e a todos, afinal, ali “moravam”, entre outras amarguras deste país injusto socialmente, a dor da pobreza, da fome e do frio. Com as graças de Deus e a parceria de muitos amigos empresários, jamais abandonamos uma única família.

Naquele cantinho abençoado, cujas ruas eram todinhas esburacadas, não tinha nada, a não ser uma dificuldade monstruosa de sobrevivência de muitas e muitas famílias. Não havia Escola, Posto de Saúde, Creche e muito menos a atenção do governo municipal. Com muita satisfação, recordo-me do dia em que, por várias horas, fiz companhia aos amigos João Cury e o Professor Caldas, na campanha eleitoral de 2008 na qual percorremos toda aquela região (lembram-se do vitorioso slogan dos três S – SOLA, SUOR e SANTINHO?). Tanto o João como o mestre Caldas ficaram espantados com a carência de tudo por lá. Cada “moradia”, ou melhor, cada “barraco” era uma forma de apelo.

Sete anos se passaram e o bairro virou referência na cidade. Que beleza! Não podemos negar que a construção do Fórum foi a “bola da vez” na largada desta mudança de visual e, principalmente no desenvolvimento de toda a região; no entanto, o cumprimento pelo Poder Público de algumas reivindicações da comunidade, feitas durante aquela “caminhada” que, inclusive, ajudou a eleger o nosso Prefeito, ou seja: a instalação do Posto de Saúde – aliás, há mais de um ano, não só o Santa Eliza, mas também as vilas adjacentes usufruem dos serviços de um Posto de Saúde moderno e de altíssimo nível -; uma Creche (recém inaugurada); construção de galerias de águas pluviais ocorridas por todo o bairro e, por fim, uma avenida ligando a Castelinho ao Distrito de Rubião Junior, cuja execução vai de “vento em popa”, sem dúvida alguma, foram peças importantes nesse vistoso progresso.

 Infelizmente não pude participar das festividades esboçadas pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Educação do Município, em comemoração à   inauguração da Creche do Santa Eliza, ocorrida no final do mês passado; entretanto, ao lado do meu companheiro de causas do bem, Wagner “Wawa” Rodrigues, estive presente, na manhã da última sexta-feira, no aconchegante Centro de Educação Infantil  que leva o nome da esposa de um grande banespiano aqui da terrinha, meu amigo Hélio Alves: “Professora Roseli Leite Alves”. Que “baita” abrigo (mais de duzentas vagas) foi entregue pela municipalidade àquelas sofridas crianças.

Querido leitor, de fato, a coisa “ta braba” em todos os cantos deste país desonesto com a sua gente, corrupto de “cabo a rabo”, todinho desarticulado e, o pior, sem comando (o que mais se ouve da Chefa da Nação Brasileira é a palavra GOLPE, isso é ou não uma verdade?); entretanto, algo nos faz crer que nem tudo está perdido. Foi exatamente essa a sensação que senti como cidadão ao conhecer a CRECHE DO JARDIM SANTA ELIZA. Graças a Deus, ainda existem administradores, escolhidos através do voto que continuam fazendo a sua parte.

Gostaria imensamente que a população botucatuense fosse conhecer os dois novos empreendimentos oferecidos aos moradores daquela progressista região (Posto de Saúde e a Creche) e fizessem a sua avaliação. Meus aplausos a todos que se empenharam para que nossas crianças tivessem um “cantinho” especial como aquele, muito especialmente a competente Secretária de Educação Alessandra Lucchesi de Oliveira que, nesses anos todos, vem fazendo toda a diferença à frente desta importante pasta do nosso município.

Meu afetuoso abraço desta semana é endereçado ao mais novo membro da Academia Botucatuense de Letras, meu amigo Caio Paganini Burini, que tomou posse na reunião festiva ocorrida no Centro Brasil Itália, na noite da sexta-feira passada. Querido Caio, motivos alheios à minha vontade me impediram de levar o meu abraço naquela noite. Quis Deus, que o também meu amigo Doutor Luiz Antonio Merege, o Biafra (não o Engenheiro Agrônomo, aquele craque que sabe tudo de bola), um dos mais conceituados médicos da cidade, “prata da casa” da nossa FCMBB, fosse o responsável pela troca imediata (por algumas horas) da tradicional “redondinha”, por alguns frascos de soro fisiológico e de outros medicamentos. Parabéns, grande companheiro! Com certeza a ABL ficou ainda mais fortalecida!

Com carinho idêntico abraço o belo casal de amigos Doutor Rafael Pimenta e Aline Manzini Pimenta, que foram contemplados por Deus com o nascimento da linda princesinha Luiza. O conjunto residencial da Hípica, morada dos “vovôs corujas” Vera Lucia e Donizeti Manzini está em festas! Parabéns, grande família!

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com