AFINAL, O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM O NOSSO QUERIDO BRASIL?

Infelizmente, “nóis”, brasileiros, estamos amargando momentos de muitas dificuldades em todos os níveis, nos setores públicos e privados, em detrimento dos nossos maiores interesses, direitos e garantias fundamentais. Absurdos de toda ordem nos afetam e estão se transformando numa realidade muito mais que verdadeira.

Os abusos cometidos (aqui, ali e acolá) contra a sociedade brasileira são vergonhosos demais. De uma hora para outra o “bicho começou a pegar pesado”; tudo ficou difícil nos quatro cantos deste Brasil Brasileiro. Uma crise sem precedentes que ocasionou um ENXUGAMENTO nos gastos em geral (dados apontam que tal medida passa do percentual de 15%); demissões de trabalhadores, ou diminuição de jornada de trabalho (quanta estupidez!); aumento astronômico da tarifa de energia elétrica, e de serviços essenciais, a cada dois meses (isso é a maior safadeza cometida com a população brasileira pós-reeleição da “Presidenta” Dilma); essa estúpida mudança de políticos de partidos nos quais eram enraizados (isso é demais!); aprovação de emendas sem observação às normas constitucionais. O desgoverno está tomando conta dos “homes” e “muiés” que nos representam, especialmente, no Congresso Nacional. Citei apenas, poucas das muitas, bizarrices que viraram mania nacional nos últimos tempos. Nunca na história deste país tivemos uma “moda tão moderna” como esta. O que está acontecendo?

Como não quero cansar você, prezado leitor, que está acompanhando este meu desabafo, vou arriscar o desvendamento de apenas três dos “mistérios” que mencionei acima. Primeiramente vou tentar relativizar o real motivo desse ENXUGAMENTO de 15% que está sendo adotado, por quase todas as administrações (em especial, as públicas) por este Brasil afora. Será que esse “fenômeno” se assemelha com aquelas forçosas iniciativas dos nossos pais, em tempos idos – que sempre ganharam pouco e não tinham saídas a não ser economizar o básico, ou passavam fome – ou será esse o preço que estamos pagando em consequência dos bilhões de recursos “desviados” da “PETROBRAS”?

O outro ponto. O Governo Federal vem cometendo uma violência sem dimensões com a população brasileira em geral, aumentando abusivamente a tarifa de energia elétrica, de maneira deslavada, a cada dois meses. O que explica isso? Aliás, a “cara de pau” do senhor Ministro de Estado de Minas e Energias, Eduardo Braga (moço muito “bão” de oratória), que esteve no FANTÁSTICO, do domingo passado, foi de dar dó. O “homão” da Dilma, falou, falou e nada disse, apenas “choveu no molhado”, ou melhor, “desceu pra baixo”.

Duro é ter que aceitar que, meses atrás, a desculpa pelo caos na energia era provocada pela força da natureza, ou seja, pela falta de chuvas e também por nossa culpa, pela má educação que temos ao utilizar, sem consciência, a energia advinda das hidrelétricas. Além de sermos multados por excessivo de consumo, pagamos os infames tributos que são uns dos mais caros do mundo. E agora? Qual será a próxima desculpa esfarrapada para nos enfiar “goela abaixo” mais um aumento (ou seria um assalto a mão desarmada?)

Por fim, a última das aberrações que não consegui “engolir”: o que está acontecendo com a classe política? Por que essa súbita necessidade de mudar de partido de um punhado de políticos? O que está por trás dessa pasmaceira? Por sinal, numa das manhãs da semana passada, num programa radiofônico de grande audiência aqui na cidade (Bom Dia Criativa), um político “prestigioso” da terrinha, disse ao entrevistador (meu amigo Junior Quinteiro) que ele cogita a sua saída do Partido dos Trabalhadores. Confesso que não acreditei. Este senhor, eleito duas vezes pelo PT, descobriu só agora que o partido não faz mais por merecer os seus “esforços”?

“Bão” de duas uma, ou o “companheiro” entrevistado na CRIATIVA FM imagina que as lambanças cometidas por grande parte da “companheirada” que compõe o Governo Federal vão minguar o seu “prestigio”, ou ele “descobriu” (depois de muitos anos) que estava em “ninho” errado. Coisas decorrentes das tradicionais oportunidades! Até aí, sem problemas, pois até a poderosa Senadora Marta Suplicy debandou do PT. Esquisito né! Que coisa feia abandonar o barco na hora do naufrágio. Quanto descrédito…

Mesmo tendo muitos amigos íntegros, honestos e respeitáveis (Luiz Rubio, Nelson “Pé de Rodo” Carneiro, Professor Luiz Carlos Giarola e Rubinho Bicudo, entre outros, fundadores do PT “botucudo” que estão pertinho de mim e que saíram da política, mas não trocaram de partido; e outro, este na esfera federal, o Doutor Arthur Chioro, atual Ministro da Saúde, um cidadão diferenciado e possuidor de um caráter invejável, com quem, prazerosamente, trabalhei, lá atrás, no Departamento de Medicina Preventiva da UNESP e outros tantos) nesta legenda partidária, que entendo ser, uma das maiores do país, nunca fui simpatizante do PT. No entanto, tenho a convicção de que este partido sempre fez por merecer esse respeito que tinha (até então) do povo brasileiro (a maior prova foi a eleição de um ex-metalúrgico a Presidente da República em 2001), consequentemente, uma bancada que nada o desabonava, não fosse a “presença” de pessoas inescrupulosas, corruptas e de péssimo caráter, que transformaram o PT, numa divisa política de dar enjôo na população brasileira.

A meu ver o maior erro cometido, ao longo do tempo, pelos cardeais da cúpula petista, foi deixar a “porteira aberta”. Essa “abertura” só serviu para uma coisa: “acolher” canalhas de plantão (aqui em Botucatu também tem componentes dessa corja) que conseguiram acabar, não só com o PT, mas com a vida de todos os brasileiros.

Aproveito a oportunidade para deixar no ar uma perguntinha a quantos queiram responder: é o PT que é ruim, ou perversa é a presença de alguns desses inescrupulosos, intitulados “companheiros” que não valem o que comem (me nego a citar qualquer nome) e que acabaram com o prestígio do partido? Que vergonha!

Enfim (queiram ou não) estamos passando por momentos preocupantes e desoladores; a CIDADANIA tem que ser mais forte e falar mais alto do que esses “oportunistas”, que sequer conseguem valorizar uma sigla partidária que um dia lhes proporcionou a chance de ganharem uma eleição. Olho nessa “cambada” de picaretas, oportunistas e trapaceiros, povo botucatuense.

Dissabores à parte, carinhosamente, quero abraçar, todos os meus colegas de trabalho nas Casas de Apoio da FAMESP, pelo brilhante evento oferecido ao Diretor Presidente da FAMESP, Professor Doutor Pasqual Barretti, no último dia 1 de julho.

Um congraçamento incomparável foi organizado pelos funcionários das referidas Casas, como forma de agradecimento por tudo o que esse cidadão do bem, ofertou a todos, durante o tempo em que esteve à frente da FAMESP, um almoço bastante apetitoso e recheado de muita emoção.

Prazerosamente, fui mais um entre os (quase cinquenta) funcionários, que, de maneira carinhosa, abraçaram com gratidão o “mestre da solidariedade” aqui no Campus de Rubião Junior, Professor Pasqual Barretti. Parabéns, querido amigo Pasqual, pelo reconhecimento recebido.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com