“… ADEUS ANO VELHO, FELIZ ANO NOVO…”

 

É minha gente, “… oi nóis aqui trá veis…”, como bem dizia a música dos imortais “Demônios da Garoa”. Encerramos 2016, e agora só nos resta relembrar aquela marchinha (bastante antiga) que dá adeus ao ano que se finda e, ao mesmo tempo, dá boas vindas ao que agora se inicia, aliás, muito cantada em todos os lares brasileiros: “… Adeus ano velho, feliz ano novo; que tudo se realiza no ano que vai nascer. Muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender…”

Temos de torcer (e muito) para que sejamos felizes neste ANO NOVO que, infelizmente, já começou enfraquecido. Pelo menos esta é a sensação que todo governante que assumiu o poder, no dia primeiro, repassou à sua gente. Recessão é a palavra que mais “circulou” por esse Brasil afora em todos os discursos de posse dos novos prefeitos municipais. Enxugar gastos das máquinas administrativas públicas. Esta é a palavra de ordem.

De fato, 2016 é um ano para ficar no esquecimento mesmo. Um ano marcado por escândalos e corrupções de todos os tipos; o Brasil teve o seu nome envolvido numa roubalheira sem limites que, inclusive, castigou mais de doze milhões de brasileiros que perderam o emprego e culminou com um número grandioso de “engomadinhos” atrás das grades. Ah, houve também, até a cassação do mandato da “toda poderosa” Presidente do país, destituída do cargo (queiram ou não) dentro da legalidade; do também “cheio” de poder Eduardo Cunha, Presidente da Câmara dos Deputados, com os seus comparsas colocados no lugar que merecem, ou seja, na cadeia.

Graças a Deus que nem tudo foi decepção. Pelo menos aqui, nesta terrinha de bons ares, aconteceram muitas coisas boas. Ao longo do ano deparamo-nos com muitas benfeitorias sendo entregues pelo Poder Público ao seu povo. Um “montão” de festividades e outro tanto de solenidades nas quais, o foco foi a valorização do trabalhador brasileiro, mais propriamente de trabalhadores locais, que foram coroados pela excelência na prestação de um serviço público de qualidade.

Por sinal, ao apagar das luzes de 2016, o 12º Batalhão do Policiamento do Interior – BPM I prestou uma maravilhosa homenagem a três integrantes da sua corporação pelo destaque que conseguiram durante o ano que passou.

Num encontro que juntou um “punhado” de autoridades “botucudas” (Doutor Eduardo Daher Zacarias, Promotor de Justiça; Mário Pardini, Prefeito eleito; André “Curumim” Rogério Barboza, Presidente do Poder Legislativo; Clóvis de Almeida Martins, Presidente do CONSEG; Raquel Ribeiro, Presidente da Associação dos Cabos e Soldados; Doutor Antonio Soares da Costa Neto, Delegado Seccional de Polícia; Doutor Adjair de Campos, Secretário de Segurança do município; os Delegados de Polícia Lourenço Talamonte; Celso Olindo; as Doutoras Simoni Alves Fermino Tuono; Micheli Ragizzi e Ana Carolina de Brito, também delegadas; diversos oficiais da Polícia Militar, entre eles, Major PM José Semensati Junior, Coordenador Operacional do 12º BPM I; Major PM Aleksander Toaldo Lacerda, Sub-Comandante do 12º BPM I; Major PM Luiz César Junior, Comandante Interino do 53º BPM I e Major PM Vanclei Franci, Chefe de Divisão Administrativa do CPI 7 e, grande parte do efetivo policial da cidade), ocorrido na manhã do dia 15 de dezembro, lá no charmoso espaço para solenidades ARETE EVENTOS, o comandante do 12º BPM I, Tenente Coronel Jorge Duarte Miguel teve o privilégio de premiar, exatamente no ano em que a gloriosa Polícia Militar completa 185 anos de uma sólida atuação, os destaques da corporação no ano de 2016, nas três Companhias do Batalhão e no Estado Maior do 12º BPM I. São eles: Sargento PM Marcelo de Moraes (1ª Companhia – Botucatu); Sargento PM Luiz Carlos Marques (2ª Companhia – São Manuel): CB PM Rafael dos Santos (3ª Companhia – Laranjal Paulista) e o Sargento PM Alexandre Nicolosi Garcia (Estado Maior).

Esta, com certeza, foi uma das solenidades mais significativas e importantes que aconteceram na cidade neste período. Principalmente pelo fato de profissionais sérios, policiais dedicados e comprometidos, serem valorizados e reconhecidos com uma justíssima e abrilhantada homenagem que contou com a presença do jovem palestrante Mauro Dias, um consultor em treinamentos Corporativos que acumula mais de 400 palestras nas diversas áreas de atuação profissional, indicado para “mediar” essa festança. Durante todo o desenrolar do evento impressionou com o ilusionismo lúdico. Parabéns queridos policiais pela nobre premiação recebida.

Outro evento que mereceu destaque especial de todos os profissionais que militam na mídia local foi a cerimônia de posse do Engenheiro Mário Pardini e do bom moço André Peres, Prefeito e vice respectivamente, que aconteceu na manhã do primeiro dia do ano, lá no Teatro Municipal “Camilo Fernandez Dinucci”.

Como já era esperado, a solenidade que deu posse aos novos vereadores e a dupla que administrará o município nos próximos quatro anos, foi digna da grandeza da nossa gente. Tudo aconteceu de maneira magistral, especialmente o primeiro contato do sempre humilde e eterno, leitorista da SABESP, meu irmão Mário Pardini, competente administrador e um “boleiro” dos bons que, lá atrás, não quis seguir a carreira de jogador de futebol. Rolou emoção durante a sua primeira fala como Prefeito.

Pena, que na vida tudo passa! Nesse mesmo dia em que me senti orgulhoso de ver um jovem empreendedor assumir o cargo máximo no executivo municipal, experimentei o outro “lado da moeda”. Não foi fácil a despedida dos oito anos de trabalho do também meu amigo João Cury Neto, senão o maior, um dos maiores Prefeitos de todas as cidades brasileiras e nem entender que havia se encerrado naquele instante, o seu mandato. De novo volto a dizer: que pena que na vida tudo passa!

Enfim, “vida que segue”, como sempre diz o renomado apresentador Chico Pinheiro. Parabéns querido Pardini, por ter conquistado, através do voto popular, o direito de dar continuidade a um trabalho feito com seriedade e comprometimento nos últimos oito anos. Que ELE, o nosso PAI continue iluminando essa sua bonita trajetória de vida.

Parabéns, grande João Cury. O povo botucatuense aprendeu a te admirar pelo seu jeitinho sincero de ser e gostar de gente. A sua vasta competência e o seu conhecimento claro de tudo frustram (e muito) esses picaretas que só dão o ar da graça em nossa cidade, em períodos eleitorais – aliás, aquele senhor que sequer teve a elegância de lhe passar o cargo oito anos atrás, dessa vez se mostrou presente; aplausos ao referido cidadão.

Querido João, não tenho dúvidas de que num amanhã bem próximo, “nóis” botucatuenses, sentiremos enorme orgulho, em vê-lo exercer todo o seu valioso talento administrativo num cargo muitíssimo elevado da política nacional. Sucesso meu irmão!

Neste primeiro encontro do ano, quero aproveitar – até porque sou um colaborador de confiança do site e não sei se estou cumprindo tudo aquilo que o Acontece Botucatu almeja para os seus leitores, logo… – para enviar os meus mais sinceros e efusivos votos de um Ano Novo cheio de alegria para todos os meus acompanhantes semanais.

Com carinho idêntico abraço uma pessoa maravilhosa e repleta de talento que completou no último mês de setembro, 100 anos de idade: meu amigo de “ranchada”, lá no aconchegante Bairro da Mina, Francisco Gonçalves Gamero. Esse fenômeno da literatura brasileira editou mais um livro (Viva a Vida), no mês passado. Com muita satisfação recebi um exemplar autografado que, certamente, recheará, ainda mais, a minha respeitável biblioteca caseira. Parabéns, professor Francisco!

Abraço também um outro “seu Chico”, o Francisco César, proprietário do nosso FRIGOBAR lá em Rubião Junior, aniversariante do último dia 4 de dezembro. Parabéns querido “Chico Bicheiro”!

Finalizando este precioso “conto”, em forma de homenagem póstuma, abraço carinhosamente o meu estimado e inesquecível “paizão” Plínio Paganini que, na última quarta-feira (04/01), completou exatos vinte anos da sua ida para perto do Senhor.