ACHO QUE AGORA SAIREMOS DO BURACO!

Ao assistir na noite da última terça-feira (19/08) o início do horário eleitoral (ainda bem que é gratuito!) tive a sensação de que agora sairemos do buraco. Pelo menos temos candidatos para todos os gostos; até o “home” do “AERO TREM” (lembram-se dele?) está nessa! As promessas, nem se fala! Deboches? Aos montes!

Como brasileiro, esperançoso em ver o nosso país trilhando pelos caminhos do crescimento, vejo esse espaço que a Justiça Eleitoral oferta aos postulantes a cargos eletivos de um jeito bastante positivo (acho até que esta deveria ser a única oportunidade do candidato chegar aos seus eleitores), no entanto, a “barganha” é tanta que o referido “programa”, mesmo antes de se iniciar, já vira motivo de chacota.

Foi exatamente dessa maneira que analisei a primeira “apresentação” de alguns candidatos às eleições do próximo mês de outubro. O festival de “papagaiadas” é inacreditável, chegou a ser ridículo em alguns momentos.

O primeiro absurdo ocorreu com a maciça participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; aliás, não sei o porquê da cúpula do partido do governo e seus aliados o considerarem um Deus. Esse senhor, sem a mínima noção teve a ousadia de, durante sua oportunidade de pronunciamento, soltar uma frase em forma de pergunta, extremamente “comovente” para todos os brasileiros e brasileiras que lhe ouviam: “ …o que seria do Brasil se outro candidato tivesse assumido o meu lugar…”. Quanta petulância! Confesso, na história do Brasil, não me lembro de nenhum presidente, uma vez finda sua ‘missão’ voltar com tanto “gás” para apoiar um sectário. Será que a preferida dele não tem competência para mostrar ao povo brasileiro o quê, como e quanto fez (se é que fez) pela nossa gente?

Mais um; o todo poderoso ex-metalúrgico Lula da Silva quase chorou ao lembrar da fatalidade que tirou a vida do presidenciável Eduardo Campos. Esquisito né! Quando vivo, o político pernambucano foi considerado traidor pela cúpula inteira do Partido dos Trabalhadores e agora depois de morto, o “dono” do PT vem a público dizer que existia, com o político falecido uma relação de pai para filho. Vai ser “cara de pau” assim lá adiante Lulinha Paz e Amor!

Aberração maior foi ver a “cara de dó” (ou a pachorra) produzida por seus “marqueteiros” no horário da exibição da candidata à reeleição, senhora Dilma Rousseff. Tivemos a grata satisfação de saber que a Comandante da Nação Brasileira, entre outras coisas, é uma dona de casa dedicada, que, inclusive, cuida do seu cachorrinho de estimação e uma cozinheira de primeira linha. “Tadinha” dela! Com certeza, aquelas imagens emocionantes (por sinal, muitíssimo bem elaboradas) agradaram em cheio grande parte dos irmãos nordestinos, muito especialmente, os beneficiários dos diversos tipos de bolsas.

Por falar em “bolsas”, soube que em São Paulo (a continuar sem chuva) será implantado, a curto prazo pela Prefeitura Paulistana, também administrada pelo PT – claro que, com a ajuda de todos os santos, inclusive, São Pedro – o “Bolsa Água”, será mesmo verdade?

Ao esboçar suas propostas de governo, a nossa “gerentona” abusou da inteligência de quem estava atento à TV. Exatamente como os outros candidatos, mostrou-se comovida com a morte do pernambucano Eduardo Campos; prometeu uma saúde de qualidade, educação para todas as nossas crianças, uma segurança total a todos os brasileiros e brasileiras; controlar a inflação e por aí vai. Só se esqueceu de dizer porque isso não aconteceu nos seus quatro anos de mandato, não é?

Dentre os muitos equívocos essa senhora, novamente teve o atrevimento de dizer que a miséria e a fome não fazem mais parte da vida dos brasileiros. Ops… Que mundo vivemos Dona Dilma: Terra do Nunca ou no terreiro do seu partido?

Como não tenho acesso a nenhum dos seus marqueteiros tomo a liberdade de convidar seus “companheiros” aqui da terrinha – muitos deles meus amigos pessoais e parceiros nas ações sociais que desenvolvo, juntamente com outros amigos, em prol dos muitos irmãos que ainda padecem, justamente, deste mal que a senhora afirma estar erradicado – a me acompanharem nas frequentes visitas que o nosso “Grupo de Amigos Voluntários” realiza em algumas moradias e sentir a realidade que o seu programa omite com muita naturalidade. Prezada candidata, infelizmente, ainda existem muitas pessoas sofrendo as dores da fome, do frio e da miséria em todos os cantos deste país abençoado por Deus, diferentemente do que a senhora prega.

Inclusive, ninguém melhor do que o vereador Lelo Pagani (PT) para comprovar essa triste verdade. Nos últimos meses ele tem sido um aliado forte na execução desse nosso intento e, nas andanças que faz como vereador, tem encontrado famílias e famílias que padecem todo tipo de dificuldades de sobrevivência. Claro que, juntos, fazemos a nossa parte.

“Bão”, essa autêntica “festa do caqui” (como diz o meu amigo Romildo Peres) não está sendo promovida somente pelos cargos do alto escalão. Mais embaixo o “buraco” é ainda maior. “Pra” não cansar vou só fazer uma observação, dentre as muitas que notei. O que explica o tal do Tiririca (aquele que dizia: “… pior que ta não fica” e que teve uma votação expressiva no pleito passado), usar a imagem (?) do Rei Roberto Carlos para “sensibilizar” novamente os eleitores? Isso é ou não uma afronta àqueles, que como eu, almejam um país sério e gerenciado por gente capacitada? O Tiririca, embora assíduo e comprometido – não faz mais que a obrigação, afinal ser honesto é um dever e não uma opção – é um capítulo à parte. Não sabe coitado, se é palhaço, ator ou marionete… E ainda assim consegue manipular a massa e ganhar dinheiro.

Ah, ia me esquecendo: tem candidato a Deputado Federal defendendo aqueles bandidos que promoviam quebra-quebra naqueles fatídicos movimentos reivindicatórios ocorridos pelo Brasil afora. Olho neles!

Enfim, dizem que em política tudo acontece desse jeito, ou melhor, na política o mundo da mentira sempre prevalece; o que se fala hoje não pode e nem deve ser questionado no amanhã. Fazer o quê! Ainda bem que existem meia dúzia (um pouquinho mais) de políticos bons, decentes, extremamente competentes e, principalmente, comprometidos com o futuro do nosso país, que merecem o nosso voto, senão…. Pobre Brasil Brasileiro!

Meu fraternal abraço desta semana é endereçado, exclusivamente, ao meu amigo Doutor Paulo Fábio Buchingani, digno Delegado de Polícia e assíduo leitor dos meus “causos” aqui contados.

Esse grande profissional com a anuência do Meritíssimo Juiz da Vara Distrital de Itatinga, Doutor David de Oliveira Luppi e a concordância do Excelentíssimo Promotor de Justiça daquela localidade, Doutor Cassiano Gil Zancoli, fez uma expressiva doação de vestimentas às Casas de Apoio da FAMESP. Obrigado pela lembrança caro amigo Paulinho.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com