A FORÇA DA NATUREZA E A GENEROSIDADE DA NOSSA GENTE

A nossa Mãe Natureza, outra vez, mostrou todo o seu poder, impiedosamente, a “nóis” seres humanos que habitamos temporariamente este mundo passageiro e incerto.

Um terrível temporal que atingiu Botucatu e cidades adjacentes durante quase toda a madrugada, do último dia 15 de janeiro, castigou, não só os moradores das regiões baixas da cidade, como também nossas vizinhas, São Manuel e Pratânia.

Aliás, esses dois municípios, há muito, não enfrentavam tragédias semelhantes. Por aqui, nesta solidária Botucatu, algumas famílias também foram “premiadas” com a perda de quase tudo o que tinham.

Claro que Deus, na sua grandeza, sensibilizou a todos que, através dos noticiários das emissoras de rádio e televisão regional tomaram conhecimento dos estragos causados por essa chuva devastadora.

De tal modo que, Ele, nosso Pai motivou um grupo de amigos, trabalhadores da Unesp (o menino Edson Nogueirinha, funcionário do setor de compras da FMB, por exemplo) a propor a formação de uma “corrente” para auxiliar, de imediato, todas as famílias afetadas pelas enchentes que castigaram esses municípios.

“Eta nóis”! Tão logo fui convocado para compor essa união de pessoas do bem, logo de cara, procurei os amigos da tradicionalíssima Rádio Municipalista de Botucatu. Evidentemente, sabia da receptividade com que seria recebido, sobretudo, por esta não ter sido a primeira vez que os companheiros da nossa “Rádio do Povo” abriam suas portas para causas dessa grandeza.

Foi assim com a tragédia que matou muita gente no Haiti; no desmoronamento de terras no Estado do Rio de Janeiro; nas inundações que penalizaram cidades em Santa Catarina e muitas outras; em todas, conseguimos “juntar” a população e levar a nossa solidariedade.

Pois bem, ao lado de todos os componentes da Corporação da Guarda Municipal, inclusive do ilustre comandante Sérgio Luiz Bavia iniciamos nas manhãs seguintes a esta fatalidade, uma campanha que visou arrecadar, por meio dos programas da rádio, em especial da tradicional “A Marreta”, tudo aquilo que muitos dos nossos irmãos haviam perdido naquela fatídica madrugada.

Através da rádio, pedimos donativos como camas, colchões, fogões, geladeiras, televisores, roupas, alimentos, enfim, tudo que pudesse suprir o que tinha sido “roubado” pelas fortes chuvas. Com apoio de muita gente (muita mesmo) socorremos grande parte desses desabrigados.

Foram mais de dez dias de um trabalho bonito e prazeroso, no qual muita gente do bem se abraçou e fez doações ou trabalhou na captação das mesmas.
Ao final, além de termos socorrido aproximadamente vinte famílias dessa sempre hospitaleira “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS”, dois caminhões (um da Transportadora Marcolla – eterna parceira de ações filantrópicas que se realizam na cidade – e outro da empresa samanuelense MADEIREIRA FITIPALDI, de propriedade do amigo Luiz Wilton Fittipaldi), carregados de móveis, roupas, alimentos, colchões, camas, fogões, sofás, caixas de leite e outros objetos, seguiram para os municípios de Pratânia e São Manuel, respectivamente.

Sem sombra de dúvida, essas doações amenizarão um pouquinho a frustração que muitas dessas famílias sentiram após essa fatalidade e, mais ainda, essa demonstração de carinho do povo botucatuense para com os irmãos castigados pelo temporal, certamente trará uma esperança mais viva por dias melhores e menos sofridos.

Foi gratificante demais participar dessa brilhante corrente do bem, ainda mais, depois de ter caminhado, ao lado de pessoas que trazem em seus corações muita solidariedade e um amor ao próximo invejável. Pena que isso tudo só veio a ocorrer depois de uma tragédia desmedida, em que muita gente que já sobrevivia com dificuldades, acabou por perder o pouco que tinha. Enfim, a vida é mesmo assim: não estamos livres de nada, ainda mais, quando se trata de querer afrontar a natureza.

Como cidadão simples e que teve a infelicidade de presenciar cenas de muito desespero com esta tragédia – aliás, lances vivenciados na companhia de alguns parceiros inseparáveis (Major Rubim, Rodrigo José Magorpo, Francisco Guedes, Anderson Eduardo Moreno, Pedro Bernardo de Oliveira, Armando Malveira da Costa, Romildo Peres e tantos outros) que me fizeram companhia por toda esta caminhada indigesta – peço licença, a você caro leitor, para agradecer o meu querido Pai, por ter me ofertado toda força para suportar todos os dissabores com os quais me deparei nos últimos dias.

Nessa mesma linha de pensamento, quero cumprimentar todos os meus colegas do dia-a-dia, da nossa “Muni” (Vanderlei dos Santos, Vinicius dos Santos, Neder Filho, Cezar Junior, Ramon Gabriel Francisco e Maria Cleide Barboza da Silva) que, mais uma vez, juntaram forças e entenderam a necessidade de realizar um programa inteirinho (quase quatro horas de duração) em prol do sucesso de mais uma ação benevolente.

Parabéns, queridos amigos. Com certeza, esta foi uma das mais importantes ações que juntos desencadeamos na nossa “rádio”, nos últimos tempos. Vocês são especiais.

Meu carinhoso abraço desta semana é endereçado a todos os integrantes da grandiosa família Zacharias, muito especialmente aos amigos, Doutores José Eduardo e Samir Daher Zacharias.

Quis Deus que a matriarca desta conceituada família botucatuense, a senhora Diba Daher Zacharias, nos deixasse, na última quarta-feira (23/01), para ir morar no céu. Caros amigos, que ELE, o nosso PAI lhes proporcione todo conforto necessário para a superação deste triste acontecimento.

{n}Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com