A FESTA DOS 62 AMIGOS TEVE ALEGRIA CONTAGIANTE E MUITA SOLIDARIEDADE.

Muita alegria, um suculento churrasco, música sertaneja das mais variadas o dia inteiro, “Parabéns a Você”, com direito a bolo e doce de abóbora, uma boa caninha, “redondinhas” bem geladas e, o mais importante, muita solidariedade entre os participantes. Tudo isso aconteceu na festa dos 62 amigos, realizada, no sábado que passou, no tranquilo e aconchegante Bairro da Mina.

Durante todo aquele dia ensolarado, um grupo de sessenta e dois amigos, com seus familiares, tiveram a felicidade de curtir o aniversário de dois integrantes de um “time” (eu e o companheiro de estrada, Donizeti Manzini) que, ao mesmo tempo em que festejam uma data especial, aproveitam a ocasião para “juntar forças” em prol dos mais necessitados. Foi um verdadeiro encontro de pessoas do bem; o presente solicitado era tão somente uma cesta de alimentos não perecíveis.

A festa estava bonita demais; aliás, ao longo do dia e começo da noite não faltaram cenas maravilhosas entre os convidados. Dentre as “façanhas” ocorridas, teve até uma convidada ilustre que, num momento de descuido, caiu na piscina com trajes típicos de passeio. Foi um “auê” danado!

Outro lance que alegrou todos os presentes foi a impecável apresentação dos “afilhados” dos Delegados Antonio Soares da Costa Neto e Celso Olindo, a promissora dupla sertaneja Diego e Eduardo.

Os meninos que vieram do Estado do Paraná e atualmente residem em nosso município, “arrebentaram”. Claro que o show que estava sendo proporcionado pela dupla Alfredinho e Paulinho – que se juntaram ao grande Zé Olinto e ao contrabaixista Regis – e pelo sempre afinado e sentimental cantor solo Sérgio Basso, o popular Boca, já vinha caindo no agrado de todos, porém, a exibição desses meninos que, com certeza, num futuro bem próximo, farão belos shows por este Brasil afora, impediu até mesmo a sempre aguardada participação dos “cantores” Milton Casquel Monti e João Cury Neto. Desta vez, esses dois grandes nomes da política nacional tiveram que se contentar ouvindo os artistas convidados cantarem.

Como anfitrião desta encantadora festança, me senti “pra” lá de realizado, afinal, reunir num modestíssimo espaço, amigos (mais de cento e cinquenta) de diversas camadas sociais e profissionais da cidade – que, por várias horas, não fizeram outra coisa senão festejar, sem que nenhum incidente ocorresse – deixa qualquer “organizador” muitíssimo orgulhoso.

Confesso que ao final de tudo estufei o peito e com o coração pulsando mais forte, agradeci o nosso Pai por tão nobre conquista. Com a força DELE, nos próximos dias, nada menos do que 122 cestas de alimentos serão ofertadas a famílias carentes da nossa periferia.

Se Deus quiser, no ano que vem faremos tudo de novo; evidentemente, com um toque ainda mais especial, com um amor ainda maior, afinal, em 2012, realizaremos A FESTA DOS 63 AMIGOS.

Através do amigo Ferdinando César Lunardi, que nos alegrou muito com a sua presença e da jovem Jaqueline Cantagalo, que acompanhou bem de pertinho a “chegada” dos presentes, parabenizo todos esses amigos pelo êxito que juntos alcançamos em outro empreendimento do bem.

O meu afetuoso abraço desta semana vai para todos os diretores e conselheiros da nossa querida Associação Atlética Ferroviária (que completou 72 anos de existência dia 3 de maio), em especial, ao jovem presidente João Francisco Chávari, que teve o seu trabalho ? frente do “Tricolor da Baixada” reconhecido pelos associados. Na eleição a ser realizada no clube para o triênio 2011/2014, no próximo domingo, haverá apenas a chapa encabeçada por este grande administrador. Parabéns, querido João Chávari.

Com o mesmo carinho, abraço o amigo Valdir Gonzalez Paixão Junior, assíduo leitor dos meus “contos” semanais que, na seresta em homenagem ao aniversário do “Tricolor da Baixada” e das Mães botucatuenses me presenteou com o bonito livro de sua autoria: Maria Lúcia Dal Farra, UMA MULHER DE VIVAS MEMÓRIAS,

Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com