A BELA FESTA DE ANIVERSÁRIO DO PROFESSOR TRINDADE

Um “punhado” de pessoas ilustres, grande parte, componentes da comunidade da saudosa FCMBB – Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (Professores, funcionários e ex-alunos), juntaram-se aos familiares da bonita família Trindade, sábado passado, no aconchegante Salão de Festas DARUMA, para festejar mais um ano de vida do seu Patriarca, o queridíssimo Professor Doutor José Carlos Souza Trindade, um dos botucatuenses mais dignos aqui da terrinha. 

Foi uma noite inesquecível, um verdadeiro encontro de amigos da “velha guarda”, inclusive, prestigiado por uma legião enorme de colegas da mídia local (Rodrigo Amat Scala; Enza e Carlinhos Denadai; Marlene Caminhoto; Elaine e Rodrigo Girardi; Silvinho Garcia Manoel, entre outros) que, ao longo da noite, “clicaram” muito. O que se viu de “retratos” tirados foi algo indescritível. Em todas as mesas do salão tinha alguém que, de uma ou outra forma, contribuiu na construção desse monumento universitário que hoje é a nossa conceituada UNESP. Uma festa maravilhosa!

Aliás, como é prazeroso ver uma pessoa que esbanja simpatia e bem viver, reunir um grandioso grupo de amigos, Professores Eméritos da Instituição UNESP, ex-alunos, ora Docentes e médicos conceituados na cidade (Eder e Ercilia Trezza; Tereza e Yoshio Ky; Luigi e Meire Vercesi; Tadeu e Maria José Galvão Viana, este encanto, uma assídua leitora dos meus “contos”); Fausto Viterbo; Agda Beatriz Pires Rizzato; Rogério Saad Hosnne; Marcão e Rosa Bet Moraes Silva; Ligia Maria Suppo de Souza; Marcio Nóbrega; Fernando da Rocha Câmara; Ana Tereza Cerqueira; Hamilton Pereira; Ernesto Miralha; Antonio Zuliani; Paulão e Maria Regina Silvares; Antero Frederico Miranda; Milton Flávio Lautenschlager; Antonio Catâneo Simões; André Balbi; Antonio Rugulo Junior; João Henrique Castro e tantos outros que, infelizmente fogem à minha memória); que, junto das suas principais heranças (a Professora Cleide Petean Trindade, sua alma gêmea; seus filhos Zequinha, Cássio e André; suas noras e netos) comemoraram o seu aniversário, em meio à muita alegria! E, mais ainda, como é “bão” participar de um encontro festivo, no qual os festeiros se conhecem há décadas – por sinal, um “montão” de trabalhadores (todos ligados à área médica) que construíram uma bonita história de vida que já dura quase meio século!

Caro leitor, fui um desses amigos que, orgulhosamente, levou um carinhoso abraço ao mestre Trindade. Fui mais um dentre esses festeiros que curtiu, com muito saudosismo, as maravilhas cultivadas em um tempo que, infelizmente, ficou para trás. Fui mais um que voltou para a casa com o coração mais leve, afinal, todos “nóis” matamos um pouco dessa saudade que nos castiga sem piedade. E, finalmente, fui, mais um, dentre os inúmeros convidados, que adorou ver o eterno Reitor da UNESP, Professor José Carlos Souza Trindade, “juntar” numa festa familiar, tantos dos seus amigos e companheiros inseparáveis para exaltar essa magia que se chama VIDA. Glória!

Enfim, posso dizer com muita tranquilidade, que havia me preparado tão somente para comemorar o aniversário deste amigo inseparável, por quem nutro um carinho enorme, no entanto, quem ganhou um pouco mais de vida fui eu, ao partilhar a felicidade do amigo, afinal, como diz a música: recordar é viver!

Confesso que fiquei tão feliz em rever, depois de muito tempo, tantos companheiros eternos do dia a dia, na nossa inesquecível “faculdade” que, sequer, tive “pique” para saborear a enorme fartura de “comida e bebida” que foram servidas aos convidados durante a festança.

Parabéns, querido amigo Professor José Carlos Souza Trindade, pelos seus oitenta anos de uma vida muitíssimo bem vivida. Que venham outras e outras comemorações.

Com muita satisfação abraço três leitores especiais da minha coluna semanal, com os quais “troquei muitas figurinhas” nesta festança: meus amigos Osvaldo Ribeiro, um dos pilares da nossa SABESP, Quim Garcia e o vereador Edney Lázaro da Costa Carreira.

Por fim, em meio a um amargor dolorido, peço desculpas aos meus acompanhantes para abraçar meu querido amigo Jairo Giacóia, que, naquele mesmo final de semana, viu a sua outra metade (a querida Dona Jacyra Giacóia) ir ao encontro do Senhor. Força grande amigo! A vida é mesmo assim!

Também com bastante tristeza abraço outros dois cidadãos diferenciados que também nos deixaram para morar no céu: meu particular amigo Carlos Roberto Matheus Vieira, o Kaka das tardes alegres do rádio, na “Rádio do Povo” e um dos mais nobres de todos os botucatuenses, o escritor Doutor Francisco Marins.

Lamentavelmente nossa hospitaleira “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS” ficou enfraquecida no final de semana passado. A inesperada partida desses “botucudos”, com certeza, entristeceu todos “nóis”, botucatuenses. Descansem em paz queridos amigos!

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com