A ARTE DE “JUNTAR FORÇAS” MAIS UMA VEZ FOI FUNDAMENTAL

Querido leitor, a união de forças, mais uma vez conseguiu resolver em partes – até porque quando o assunto é saúde, pouco podemos fazer – um terrível problema enfrentado por dois profissionais que, no exercício das suas funções ficaram ? mercê da boa vontade de indivíduos que, assim como o Estado, pouco interesse tem pelo bem do ser humano.

Até como forma de gratidão vou contar um pouco dos momentos de angústia e tensão que vivemos (eu e muitos companheiros do dia a dia) no final de semana passado e que, com as graças DELE, só não foram piores pelo fato de muitas pessoas do bem que se abraçaram para ajudar dois policiais que se acidentaram na última sexta-feira (03/01), em Espírito Santo do Turvo: meus amigos, Sargento PM Márcia Helena Lázaro e o Soldado PM Rafael Antonio Panhoça. Ambos estavam internados no Hospital de Santa Cruz do Rio Pardo e, pela gravidade do caso, tinham que ser transferidos, urgentemente, para o nosso Hospital das Clínicas.

Não fosse a tristeza e a enorme preocupação de todos, muito especialmente da Corporação da Polícia Militar (que se mobilizou para que essa transferência ocorresse o mais rapidamente possível) com o estado de saúde desses dois briosos policiais, com certeza, eu poderia dizer que vivenciei, por alguns dias, uma felicidade plena em face da verdadeira ação entre amigos que se desencadeou, por sinal, algo que me encorajou a ter mais esperança num mundo melhor para todos.

Foi uma autêntica “corrente pra frente” que se iniciou dentro da própria Corporação. Primeiro foi o Capitão PM José Semensati Junior, Comandante da 1ª Companhia do 12º BPM I (que estava em férias), minutos depois da internação dos acidentados. Depois foi o Neurocirurgião, Doutor Carlos Clayton Macedo de Freitas, que mesmo não estando na cidade, por telefone, deu aval para a vinda da amiga Márcia. Como era necessário um leito de UTI pelo estado de saúde dela, o caminho foi procurar o simpático e atencioso Doutor Ubirajara Teixeira, chefe daquele importante setor do HC, que, aliás, também estava viajando. Como todo bom comandante sempre tem ao seu lado um bom aliado, o querido Doutor Bira encontrou no seu substituto (o Doutor Luiz Alexandre Cicheto, outro “baita” ser humano) a saída para a solução deste problema. Felizmente, tudo deu certo, tanto que, naquele mesmo dia, com auxílio do SAMU daquela localidade, a referida transferência acabou consolidada; a querida Márcia já estava sendo acompanhada pelos médicos do nosso HC.

A primeira “batalha” estava vencida. O próximo passo era a transferência dio soldado Rafael. As dificuldades foram as mesmas, porém, dois dias depois, a ambulância da municipalidade se incumbiu de ir buscá-lo. Coisas desta maravilha chamada UNIÃO que, diga-se, sempre fez a FORÇA.

Como na vida nem tudo se resolve de imediato, os pedidos de ajuda também chegaram até o Prefeito João Cury, ao Secretário da Saúde do município, Doutor Cláudio Miranda, ao Superintendente do HC, Doutor Emílio Carlos Curceli e ao pessoal da Central de Vagas (que maravilha o atendimento da Doutora Mariana Ferreira de Lima que estava de plantão naqueles dias). Todos deram grandes exemplos de solidariedade, fazendo (muito bem) a sua parte.

Impossível não citar o empenho dos Doutores do Hospital de Santa Cruz do Rio Pardo, Otacílio Parras Assis (entendi, o motivo desse senhor ser o Prefeito de lá), Jonas Jovanoli Filho, Valter Henares e Clélio Zanoni Filho e do amigo Doutor Ricardo Colenci, da Ortopedia do HC, além, dos “botucudos” Paulo Dias, André “Curumim” Rogério Barboza, Benedito Carlos Jacinto e os Soldados Laudo Gomes da Silva e Luiz Alberto dos Santos da Base da PM na UNESP e do Tenente Cassiano Correa de Moraes, da Companhia de Santa Cruz do Rio Pardo, para que tudo desse certo. Quanta gente maravilhosa!

Enfim, exatamente como disse no título deste “conto”, a arte de “juntar forças”, ou melhor, a importância de “darmos as mãos”, mais uma vez, fez a diferença num quadro difícil que carecia do arrojo de muitas frentes. Hoje, exatos sete dias desse triste ocorrido, com as graças de Deus, esses nossos amigos estão sob controle e se recuperando maravilhosamente bem. Parabéns a todos!

Meu fraternal abraço desta semana é endereçado, especialmente, ao meu amigo João Luccheta, Presidente da APTO – Associação de Apoio ao Transplante de Órgãos e Tecidos e ao Paciente em Terapia Renal Substitutiva. Esse valoroso dirigente, com a ajuda de muitos parceiros – entre eles o Diretor Presidente da Famesp, Professor Pasqual Barretti, as assistentes sociais Solange de Moraes e Adriana Henriques Ribeiro e o empresário Donizeti Manzini – presenteou com um panetone e um lindo cartão de Boas Festas todos os associados desta primorosa entidade e, porque não dizer, todos os pacientes que fazem hemodiálise em Botucatu. Parabéns grande companheiro!

Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com