50 ANOS DA “MUNI”: MAIS UMA FESTA COM “CARA” DE POVÃO

Eis que a população botucatuense, mais uma vez foi contemplada com uma festa maravilhosa em comemoração aos 50 anos de atividade de uma das emissoras de rádio mais ouvidas em toda a nossa vasta região: a Rádio Municipalista de Botucatu.

Na noite do último sábado (09/06), a Praça do Bosque – aliás, muito bem preparada para a realização deste evento – de maneira bastante aconchegante, acolheu pouco mais de 4 mil pessoas, que lá estiveram para “matar saudades” e voltar a um tempo inesquecível, época em que uma imensidão de intérpretes da música popular brasileira fez história e conquistou eternamente milhares de fãs e, ao mesmo tempo, aproveitaram o momento de saudosismo para celebrar o cinquentenário da nossa sempre adorada “Rádio do Povo”, como é conhecida a Muni.

A primeira atração da noite foi nada menos do que os inimagináveis artistas de uma família de músicos e compositores da “Cidade Maravilhosa” que há mais de 54 anos são sucesso absoluto em todo o território nacional: Os Golden Boys.

O “Bosque” ficou pequeno diante do alto astral contagiante dos irmãos Renato, Ronaldo e Roberto Correa, ex-componentes do “Trio Esperança”, um memorável conjunto que, lá atrás, nos tempos da Jovem Guarda, vendiam milhões de discos.

Muito bem humorados, juntamente com os componentes da banda mostraram uma afinidade impressionante com a platéia e, por mais de uma hora e meia, cantaram todos os seus sucessos; inclusive, alguns daqueles que nos tempos do “iê-iê-iê” (a exemplo da canção “Alguém na Multidão”) receberam os mais variados prêmios.

Mais adiante, logo após a distribuição de alguns prêmios ofertados pelo comércio local, com animação idêntica, a galera aplaudiu outro conjunto famoso, que já havia se apresentado em Botucatu num passado não muito distante: Bee Gees Alvie.

Cover do imortal Bee Gees, com um carisma invejável, esses moços relembraram muito do estilo musical que “nóis”, remanescentes da Jovem Guarda aprendemos a gostar. Indescritível a sensação mágica de voltar no tempo por algumas horas que, certamente, tomou conta do coração dos presentes, muitos deles, verdadeiros amantes das músicas dos anos 60 e 70.

Com um pouquinho de atraso, chegou a hora da apresentação de um dos maiores fenômenos da MPB há mais de quatro décadas, campeão em vendagem de discos em todo país: o carioca Benito Di Paula. O palco “quase caiu”.

Esse grande intérprete esbanjou simpatia e, por várias vezes, se revelou admirador da nossa cidade (está querendo até arrumar um “casamento” por aqui); esse pianista dos bons, sambista de causar inveja aos seus admiradores segurou o público por mais de duas horas e interpretou algumas das suas muitas riquezas musicais. Nem aquele tradicional “mais um, mais um” em finais de shows teve chance de mostrar a sua cara, tal a maiúscula participação desse gigante na arte de compor e interpretar melodias.

Assim que os aplausos cessavam, entre uma e outra canção, com muita maestria, ele contava um “causo” ocorrido na trajetória de sua brilhante e vencedora carreira. Ao longo do tempo que permaneceu no palco, Benito Di Paula também prestou singelas homenagens a muitos dos seus amigos artistas, companheiros de estrada; aliás, a meu ver, uma “baita” demonstração do tamanho da sua grandeza.

Quase ao final dessa grande festa, mesmo com os fãs pedindo, insistentemente, “Mulher Brasileira” e “Charlie Brown”, sem dúvida, seus maiores expoentes, ele chamou o seu filho Rodrigo Vellozo (que, inclusive, não fazia parte do contrato com a emissora) e junto dele, “largou” mais dois sucessos para a platéia. Foi bonito demais, até porque, o moço também é talentoso.

Enfim, foi prazeroso demais participar dos festejos de mais um aniversário da nossa querida “Rádio do Povo” e, principalmente, conhecer bem de pertinho, as qualidades de alguns desses mestres das músicas que encantaram gerações.

Parabéns, conceituada Rádio Municipalista pelos seus 50 anos de existência em prol do bem estar de toda uma cidade. Parabéns, querido amigo Vanderlei dos Santos (e todos os seus colaboradores) por oferecerem ? nossa gente, uma festa dessa magnitude. Parabéns, “filhos” do saudoso Pedutão (achei falta dos amigos Zé Pedutti, Neto Pedutti, o Doutor Neto Batista e outros herdeiros dessa família maravilhosa naquela noite) por estarem sempre “abraçados” ? s famílias botucatuenses.

Meu carinhoso abraço desta semana é dirigido, exclusivamente, a uma pessoa especial, leitora dos meus “contos” e admiradora dos meus propósitos do bem, com quem, por alguns minutos naquela festança, “troquei figurinhas” e ainda pude sentir muito orgulho quando fui fotografado ao seu lado por um colega de imprensa: minha amiga Lucinha Pedutti.

Com enorme tristeza envio, em forma de homenagem póstuma, o meu abraço de despedida ao querido Delegado de Polícia Doutor Sérgio Paulo Martins Castanheira, um amigo de longa data que, no domingo passado, nos deixou para ir fazer companhia do Senhor. Descanse em paz brilhante profissional e grande amigo.

{n}Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com