“SE COMETEMOS ERROS…”

“Eta nóis”, agora é demais! A nossa Presidenta foi arrogante, estapafúrdia e grotesca, para justificar toda a incompetência de um governo, que não assume os próprios erros. No dia 7 de setembro, feriado comemorativo da Independência do Brasil, a máxima mandatária do país, através das redes sociais, tentou nos enfiar goela abaixo toda a culpa de sua má gestão e de seu governo que conseguiu acabar com o país – aliás, esta foi a primeira vez, na história do Brasil que um Chefe do Executivo não utilizou as emissoras de Rádio e TV para fazer seu pronunciamento, num dia muito importante para todos os brasileiros. Tenho a convicção de que a dona Dilma não sabe quase nada sobre a referida data, será?

Não entendi o porquê da toda poderosa companheira, “chefa mor” do falido Partido dos Trabalhadores, no seu discurso – por sinal, “meia boca”, muito parecido com aquelas brincadeiras frequentes entre alunos do nível fundamental – ter aplicado uma conjunção subordinativa condicional: “SE COMETEMOS ERROS”. Será que fomos nós que demos causas aos erros? Exceto pela maioria ter “supostamente” votado nela, com certeza.

Ora minha senhora, quatorze anos atrás, quando o Partido dos Trabalhadores iniciou o seu projeto de governança, encontrou o país nos trilhos. Como cidadão, confesso que até torci para que o cenário político mudasse naquele momento, por acreditar nas MUDANÇAS que sempre impulsionam o crescimento. Infelizmente “caí do cavalo”. Na minha visão a senhora e sua equipe (salvo raríssimas exceções, uma delas é o meu amigo Doutor Arthur Chioro, Digno Ministro da Saúde) é que tem de fazer o “Mea Culpa” e assumir serem “donos” desse verdadeiro festival de papagaiadas a que somos submetidos. Minha senhora busque encontrar, urgentemente, humildade suficiente para aceitar que esse PROJETO DO PT PARA O BRASIL, esboçado lá atrás, afundou. Agora é enfrentar e assumir essa triste realidade.

Naqueles tempos, o governo cessante poderia até não ter boa aceitação, no entanto, ninguém pode negar que, pelo menos, a incompetência na arte de governar passava bem longe. Parece que a roubalheira não era tão visível aos olhos incautos. Os desvios de verba eram mais “leves”. Obviamente, um ou outro político safado e desonesto – afinal, o que tem de gente que não presta travestida de homem público correto é coisa assustadora – vez ou outra, mostrava a sua cara, mas jamais, do jeito que estamos vendo nos dias atuais.

Mais uma só: não quero crer que a senhora só goste de pobre porque essa camada da sociedade brasileira (que não é pequena) é quem faz a diferença na hora do voto. Até acho que os seus programas sociais devam ser intocáveis. Agora, que história é essa de abraçar outros povos, se aqui dentro da nossa casa existem muitos dos nossos irmãos – por conta do desemprego, da diminuição de jornada de trabalho e de outras barbaridades, causados pelo seu governo – que estão “atolados” no mundo da fome e da miséria? O seu gesto em amparar refugiados de outros países, a meu ver, carece de uma avaliação mais profunda, não acha?

Desabafos à parte, porém, vou continuar no enfoque do mesmo assunto, ou seja, o Dia 7 de setembro. Como CIDADÃO EMÉRITO da nossa acolhedora e solidária “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS”, quero parabenizar toda a organização do desfile que comemora essa importante data para todos nós, brasileiros, muito especialmente a querida Secretária de Educação do Município Alessandra Luchesi de Oliveira. Que “baita” Ato Cívico o povo da minha querida Botucatu teve oportunidade de assistir. O desfile na Rua Amando foi bonito demais; aliás, bastante prestigiado por autoridades civis, militares e políticas da terrinha. No palanque montado em frente à Praça do Bosque tinha políticos de todos os partidos, inclusive, do PT. Que belo exemplo de democracia!

Ah, como deixar de falar do momento em que as Bandeiras do Município, do Estado de São Paulo e do Brasil foram hasteadas na frente do prédio da Prefeitura municipal? Sem ser irônico, gostaria imensamente que a “companheirada” que acompanha, mesmo à distância, a Presidenta Dilma Rousseff, principalmente aqueles mais “fiéis”, tivessem ouvido todo o discurso do Chefe do Executivo Botucatuense, meu amigo João Cury Neto. Seria mais do que especial.

Com esse “tar” de “Zap Zap”, indo e vindo, com muita facilidade, se logo após as manifestações do nosso alcaide, algum desses “companheiros” a enviasse para Brasília, com certeza a nossa “Presidenta” estaria bem preparada para deixar a sua mensagem ao povo brasileiro sobre o Dia da Independência. Seria ou não uma boa idéia? ETA BRASIL BRASILEIRO!

Prazerosamente envio o meu fraternal abraço desta semana ao meu amigo Silvio Carlos Natali que completou mais um ano de vida, no sábado que passou (05/09). Juntamente com alguns amigos (Alemão Paranaense, Chico César e Elenilson), lá estive levando o meu abraço a este grande craque do futebol amador da cidade.

Todinho abarrotado de convidados (Dinho Herbst, Santo Rosa, Zé Piranha, Nenê Bueno, Moacir Bernardes, entre outros) e com animação da dupla botucatuense Gonçalo Neto & Alfredinho (com o respaldo dos amigos Paulinho, Zé Olinto e o contra baixista Hélio) o “rancho” do amigo Cuco Tapeceiro, lá no Bairro da Mina, transformou-se num verdadeiro “Salão de festas”. Parabéns, grande Silvinho.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemão.famesp@gmail.com