“MC DIA FELIZ”: A CIDADE VAI “BOMBAR” SOLIDARIEDADE!

Amanhã, dia 30 de agosto, será um dia muitíssimo especial para a sociedade botucatuense. Acontecerá, ao longo de todo o dia, o tão aguardado “Mc DIA FELIZ”; uma festa que, entre outras coisas, vai mobilizar muitas pessoas do bem. Com certeza, a cidade vai “bombar” solidariedade!

Um evento já tradicional esboçado há 15 anos, pelo Instituto Ronald McDonald, organização mundial que objetiva cuidar da saúde de crianças e adolescentes portadores de câncer no mundo inteiro.

Neste ano, bem como já ocorreu em anos anteriores, o setor de Oncologia Pediátrica do Hospital das Clínicas (HC) será o grande beneficiado dessa ação que, a cada ano que passa, aumenta significativamente e ganha mais adeptos e parceiros.

Aliás, na manhã do último dia 8, nos estúdios da Rádio Municipalista de Botucatu, juntamente com alguns companheiros do Grupo de Amigos Voluntários, todo o pessoal dessa respeitável emissora (inclusive o seu âncora, Vanderlei dos Santos) e os médicos responsáveis pela clínica contemplada, demos a largada nesta ação que visa vender 4 mil lanches. Naquela ocasião conseguimos vender perto de oitocentos tíquetes.

Como todos sabem cada tíquete custa R$ 13,00 e esse valor dá direito a um lanche Big Mac. Todo o valor arrecadado com a venda desses sanduíches será destinado, integralmente, ao HC da Unesp, que, por sua vez fará o repasse ao setor de Oncologia Pediátrica. No ano passado através dessa grandiosa promoção o HC conseguiu adquirir um equipamento de última geração (um aparelho de Ultra-sonografia Doppler) e neste, certamente, outro aparelho moderno será adquirido diante do empenho de pessoas que estão “arregaçando as mangas” em prol dessa causa.

Nesta campanha o envolvimento de alguns dos nossos frequentes parceiros foi ainda mais comovente, deu um “toque” um pouco mais especial em tudo.  Além da compra dos tíquetes que, digamos, já ofertam subsídios para que o HC, de fato, modernize-se no atendimento a essas crianças, esses aliados ainda entregaram os tíquetes para que sejam realizadas confraternizações entre os pacientes internados. Tanto isso é verdade que perto de 300 tíquetes (dentre os oitocentos conquistados no programa “A Marreta”), “comprados” por amigos profissionais liberais, comerciantes e empresários – acabaram sendo doados para os pacientes de algumas enfermarias do Hospital (Pediatria e Oncologia Pediátrica) e também para os “hóspedes” das Casas de Apoio da FAMESP. Esta é ou não é uma “baita” demonstração de solidariedade e amor ao próximo, proporcionado pelo nosso povo? Amanhã vai ter festa das grandes em vários setores do campus de Rubião Junior da UNESP. Venha conosco!

Muito obrigado por nos abraçar queridos amigos. Com certeza essa nossa cumplicidade vem fazendo a diferença na ajuda que proporcionamos a muita gente. Mais uma vez, a população desta nossa hospitaleira e acolhedora “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS” dá uma mostra clara do tamanho da sua generosidade.

Meus parabéns aos representantes desse Instituto, por sinal, sem fins lucrativos (Ronald McDonald), em especial ao meu irmão Paulinho Nogueira, um dos maiores expoentes do mundo da solidariedade em toda a nossa região e também aos meus colegas de trabalho no HC, Doutores José Roberto Fioreto e Lied Pereira Mendes, pela determinação no desenrolar de uma campanha que, com certeza, trará frutos positivos a muitas pessoas, principalmente a essas crianças que lutam arduamente para se livrarem desse terrível mal.

Para concluir este meu “conto”, quero “falar” um pouquinho (pouco mesmo) de um assunto que trouxe à baila na semana passada: o momento político que estamos “vivendo”.

Pois bem, entre as muitas observações que fiz por conta das barbaridades que o Horário Eleitoral nos oferece, em forma de “orientação”, deixei claro que não acredito na maioria das promessas feitas pelos postulantes a cargos eletivos. A maioria dos compromissos prometidos durante a campanha eleitoral não são cumpridos após a eleição.

Acho que isso é uma realidade inquestionável. Porém, também tive equilíbrio necessário para dizer que existem nesse “pacote”, muitos cidadãos, ou melhor, muitos políticos comprometidos com o bem da nossa gente. Graças a Deus no meu ponto de vista, pelo menos aqui em Botucatu, não deixa de ser verdadeiro. A maior prova disso vem sendo mostrada a todos “nóis” que “viajamos” diariamente até o Distrito de Rubião Junior. Gente, a duplicação da concorridíssima Rodovia Antonio Butignoli está de “vento em popa”. O que estão fazendo por todo o seu percurso é algo admirável. Parabéns, Prefeito João Cury Neto.

Aliás, já há algum tempo, aquela via de acesso ao Campus Universitário clamava pela sua duplicação. No entanto, temos que interditá-la o mais rapidamente possível, visto que o enorme fluxo de veículos naquele trecho, somado ao elevado número de maquinários que trabalham por lá deixa tudo aquilo perigosíssimo.

Obviamente, essa interdição vai desagradar muita gente, principalmente aquelas pessoas que fogem de qualquer tipo de entendimento, ou melhor, que vivem bem ao estilo do grande Patropi, aquele personagem da saudosa “Escolinha do Professor Raimundo”. Quem não se lembra daquela célebre frase dita por ele que chamava a atenção de todos nós que o assistiam: “… oh meu, você parece que não sei…”

Por fim, já que o meu foco de hoje explorou demais a cidadania, quero parabenizar todo o povoado do mais novo conjunto residencial da cidade: o Residencial CAIMÃ.

Estive ao lado de um grande amigo (que chamou a minha atenção e me levou conferir), num “passeio” pelas ruas daquele condomínio, e senti uma alegria enorme com tudo o que vivenciei. Que maravilha! Tive a sensação de estar morando num país de Primeiro Mundo. Apesar da simplicidade dos moradores daquele local, não encontramos, sequer, um pedacinho de papel jogado pelas ruas e, aquela rotineira sujeira, retrato da má educação, por muitos e muitos cantos da cidade, jamais se avoluma por lá. Isso é fenomenal. Que bom seria se isso fosse a “marca registrada” da nossa querida Botucatu!

Precisamos saber qual o segredo dessa “mágica” em qualidade de vida que habita aquele lugarejo encantador. Será que está nascendo mais uma dessas muitas entidades de bairro, cujo representante mor prioriza o bem de todos? Temos que descobrir, que projeto é esse que faz um bairro habitado por pessoas carentes ser referência, simplesmente, por abrigar moradores comprometidos com o bem da natureza e do meio ambiente.

Como admirador de situações que enobrecem a condição do ser humano comprometido com o coletivo posso garantir que estou torcendo muito para que esse modelo, não só tenha continuidade, como disseminação e seja “copiado” por outros bairros do nosso município. Por sinal, nesse quesito, acho que falta (muita) educação, para muita gente, moradora nos diversos cantos do município.

Envio o meu fraternal abraço desta semana a todos os quarenta e um leitores que, por e mail ou mensagens de celular, honraram-me com manifestações carinhosas em relação ao meu texto da semana passada, muito especialmente, a Professora Maria do Carmo Cavallini Mauad, esposa do amigo, meu eterno representante e também colunista do nosso “Diário”, Toni Turquinho, que também me parabenizou.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com