“ESSE CARA SOU EU”!

Querido leitor, quero nesta minha última manifestação de 2012, “falar” um pouquinho das coisas boas que ocorreram ao longo de todo o ano que está prestes a se encerrar.

Evidentemente que muitos foram os momentos de doação e entrega, possíveis somente graças ao auxílio costumeiro de muitos amigos, com quem fiz acontecer muitos atos solidários em 2012, aliás, aproveito a oportunidade para registrar o meu total reconhecimento a toda acolhedora sociedade botucatuense, sempre atuante nos eventos filantrópicos realizados em Botucatu.

Pois bem, vamos ao assunto. Neste Natal, com as graças DELE, muitas visitas foram realizadas nos mais variados cantos da cidade, muito especialmente, nos bairros periféricos e, em todas, o tão sonhado “Papai Noel”, de um jeito muitíssimo carinhoso esteve presente.

Tive o prazer, inclusive, de saber que o bom “velhinho”, com toda a disposição e boa vontade do mundo, a pedido dos organizadores da 12ª Campanha dos Brinquedos (realizada por nós, Grupo de Amigos Voluntários, parte da imprensa e tantos cidadãos de bem) “visitou”, entre outras localidades, o populoso bairro do Jardim Santa Eliza, a sempre sofrida Vitoriana e reuniu, no estádio Municipal “Professor João Roberto Pilan” toda a criançada da região ao redor do campo do Inca.

Momento sinônimo de muita festa e sorriso de criança, ao alimentar a ilusão e a esperança do Natal, exatamente como quando nossas ações de cidadania se realizam e conseguem transformar nossos anseios de um mundo um pouco menos desigual em realidade.

Neste artigo, utilizei o título – ESSE CARA SOU EU! – bastante convidativo e “pra” lá de popular, simplesmente para homenagear e enaltecer uma alma caridosa que, ao invés de passar o Natal com a família, curte esse dia muitíssimo especial junto a uma comunidade carente: meu amigo Francisco Guedes, o sempre solidário Comboy Noel. O nome da mais nova música do “Rei” Roberto Carlos, com certeza, expressa a conduta altruísta deste cidadão que, logicamente, é só mais um entre os muitos voluntários da cidade.

Porém, não há como negar que a festa realizada pelo nosso querido “Cowboy” Noel, na manhã de Natal, no campo de futebol do Distrito de Rubião Junior foi o ápice de todas as comemorações natalinas mencionadas; a “bola da vez” entre todas as festas de Natal realizadas no nosso município, algumas até, com lances exibidos nos canais de TV da região. Que maravilha!

Imagine então “esse cara”, amigo leitor, que possibilitou a mais de 700 crianças daquela região, um congraçamento, por várias horas, com direito a pipoca, pirulitos, cachorro quente (mais de dois mil), refrigerantes, sorvetes, diversão garantida no “pula-pula” e, claro, o tão sonhado presente do Papai Noel.

É minha gente, a vida é mesmo inusitada. Podemos ? s vezes acreditar que estamos no comando, mas, quase sempre, algumas coisas surpreendentes, acontecem pelos caminhos que trilhamos neste mundo passageiro e incerto!
Quis Deus que eu conhecesse este moço maravilhoso (Francisco Guedes, o carismático Cowboy Noel), no desenvolvimento de outra campanha solidária, no final da década de 70 (o Jogo de Profissionais em Férias), que arrecadava alimentos para posteriormente serem distribuídos a entidades assistenciais da cidade.

Na ocasião, este grande ser humano, bem acima da média, que há vários anos opta por trocar a confraternização com a família, no dia 25 de dezembro, pela festa de Natal ao lado de tantas crianças, era interno na “Casa dos Meninos Sagrada Família”.

Quis ELE também que eu me transformasse no “paizão” deste menino humilde, hoje funcionário exemplar da Lavanderia da UNESP, que “troca tudo” para abraçar as causas do bem. Coisas dessa nossa vidinha passageira!
Parabéns, grande Cowboy Noel, você é demais. Sem dúvida alguma, Deus transformou um menino sem família, num cidadão maravilhoso e respeitado. Estufe o peito e grite bem alto para todo mundo ouvir, exatamente como o Rei Roberto Carlos: ESSE CARA SOU EU!

Enfim, não foram poucas as festas natalinas (recheadas de muitos brinquedos e emoções), realizadas, aqui, ali e acolá, que tiveram o apoio de muita gente do bem, pessoas que sempre priorizam nossas crianças, diferentemente do que faz um “politiquinho” abelhudo e “meia boca”, que se acha dono da verdade e que quando esteve no “poder” não teve a coragem de investir o que a lei determina na educação das nossas crianças.

Claro que o “bicho vai pegar” e essa figura “expressiva” da política local acabará inelegível por alguns anos, afinal, um outro menino pobre que se tornou Presidente do STF (o Ministro Joaquim Barbosa) já deu mostras de que, em momento algum, compactuará com falcatruas políticas de qualquer espécie.

Como uma criança feliz, abraço carinhosamente dois garotos bastante especiais na minha vida. Com certeza, essas preciosidades farão a diferença no nosso amanhã: os “corinthianíssimos” José Semensati Neto (meu netinho) e Luiz Rogério Peres Junior (meu afilhadinho).

{n}Rubens de Almeida – Alemão
alemao.famesp@gmail.com