“… TANTO RISO, OH QUANTA ALEGRIA; MAIS DE MIL PALHAÇOS NO SALÃO…”

É isso ai minha gente! Foi exatamente este o quadro que vivenciei na noite da última sexta-feira (13/02), no ginásio de esportes do Botucatu Tênis Clube, durante a 13ª edição da sexta-feira carnavalesca: muito riso, uma alegria de “arrebentar” qualquer tipo de bem estar e um “punhado” de amigos que curtiram uma noite especial, ou melhor, um “montão” de saudosistas, amantes do carnaval de verdade, que voltaram a acreditar que a tradicional festa do “Rei Momo”, continua nos nossos corações.

Nesta mesma época do ano passado, utilizei esta coluna para, em forma de contribuição, mostrar a minha indignação sobre os caminhos (sem voltas) que esta festança, que ninguém duvida, está entre as preferências majoritárias de todo brasileiro, estava “conquistando”.

De maneira bastante clara, dentre as muitas observações que atentei, coloquei que o carnaval de clube estava com os dias contados, até porque, “nóis” dirigentes dos clubes da terrinha (me inclui neste rol) estávamos nos rendendo aos caprichos  da meninada que, infelizmente, não aprenderam a gostar das tradicionais marchinhas e dos enredos das escolas de samba, “mola mestra” do sucesso dos carnavais brasileiros.

Lembro-me também, que sugeri aos meus amigos dirigentes dos clubes sociais da cidade que precisávamos nos unir e “fazermos a nossa parte” para que o pior não viesse acontecer. Eis que para a minha alegria, até porque, sempre gostei de carnaval (cheguei até ganhar um prêmio na nossa querida “veterana” da Avenida Dom Lúcio como “Folião mais animado”), quatro noites verdadeiramente carnavalesca foram ofertadas aos carnavalescos em geral.

Primeiro foi o tradicional clube da populosa Vila dos Lavradores, o simpático “Dragões da Vila” que “chacoalhou”, de um jeito alegre e encantador, o momento carnavalesco tão esperado pelos “botucudos” amantes dessa grandiosa festa popular. Na noite da sexta-feira (06/02) o salão social daquele majestoso clube, presidido pelo querido amigo Antonio Cecílio Junior, o Juninho da CINE VIDEO LOCADORA, “bombou” alegria e satisfação. Foi uma noite marcante. Quem lá esteve, além de todo o contentamento vivido, ainda aproveitou a oportunidade para reservar o seu ingresso para a festa do ano que vem. Isto é ou não é algo fantástico? Parabéns, queridos amigos!

Depois chegou a vez dos amigos do grande presidente do sempre acolhedor e confortável Botucatu Tênis Clube, Doutor Eduardo Rodrigues Torres, recepcionar os mais de dois mil apaixonados pelo nosso carnaval. Que “baita festança”! Que noite maravilhosa recebemos de presente da equipe do amigo Doutor Du Torres! A começar pela monstruosa apresentação da famosíssima BANDA CARISMA, tudo “balançou” positivamente todos os convidados.

Nesta eu participei de corpo e alma; por sinal, devo confessar que voltei a sentir aquele gostinho de “sacudir a poeira”, num período do ano que sempre nos foi nos reservado para que possamos descongestionar todo o stress acumulado.  Dividi algumas horas desta nossa vidinha passageira, em meio a uma animação de causar inveja, com um “montão” de amigos especiais (Nilceu Giacóia, Professor Beto Colenci, João Cury Neto, Fernandinho Cury, Beto Salomão, Donizeti Manzini, Rodrigão Peres, o Presidente da Associação Atlética Botucatuense, Jânio Gonçalves, Oswaldo Ribeiro, Ferdinando Cezar Lunardi, Gaspar (),o moço forte da Caixa Federal, Zezo de Oliveira, Beto Capelupi, Luiz Lino, Pedrinho Navas, Luiz Antonio Garcia, Marinho Soares, Djalma Bovolenta, Tulinho Soares, Samir Abdalla, o Presidente do Conseho Administrativo da Ferroviária Doutor Juninho Colenci, Mauro Kassama, os vereadores Fontão e Curumim e muitos outros), evidentemente que todos estavam muitíssimo bem acompanhados por suas esposas. Enfim, foi uma noite dessas que jamais dá para se esquecer.

“Bão”, como o carnaval estava apenas começando, mais duas noites e quatro matines estavam programadas para acontecer. Dois bailes grandiosos ocorreram lá na nossa querida “associação” num clima “pra” lá de encantador. Aliás, soube de um jeito bastante prazeroso que em ambos, o sucesso foi mais que total. As duas matinês também “bombaram” alegria. A criançada se divertiu muito.

Pra mim, esse sucesso todo conquistado pelos amigos que administram a Botucatuense não é novidade nenhuma, mesmo porque, nenhum dos componentes da equipe diretiva do amigo Jânio Gonçalves, costuma brincar em serviço, ao contrário a diretoria atual da “veterana” vem cuidando de um jeito especial de tudo por lá. Hoje o clube está com um visual belíssimo, muito mais aconchegante e, o mais importante, com um número de freqüentadores bem maior do que em épocas passadas. Com certeza isso é fruto de muito trabalho e um comprometimento ainda mais forte por parte de todos os dirigentes.

Por ser um dos integrantes da cúpula administrativa da Associação Atlética Ferroviária, também muito bem gerenciada pelo competente e sempre atuante presidente João Francisco Chávari, clube que apenas realizou duas matinês aos seus associados “baixinhos”, tenho que deixar a minha mensagem aos carnavalescos botucatuenses, em especial, àqueles que fazem parte do nosso quadro associativo: se Deus quiser, no ano que vem o “Tricolor da Baixada” estará dando a sua contribuição na recuperação, de vez, dos tradicionais e badalados bailes carnavalescos dos clubes aqui da nossa hospitaleira Botucatu.

Não tenho dúvida alguma em afirmar que a partir do ano que vem teremos festas desse gênero em todas as noites, afinal, quem diria que neste ano teríamos mais dois bailes sendo oferecidas aos carnavalescos em geral.

Enfim, “nóis” que amamos um carnaval, divertido em família e nos clubes, sentimos um orgulho enorme com tudo o quê nos foi oferecido. Com certeza, neste ano, melhoramos muito e tudo aconteceu, exatamente, como diz outro verso dessa bela “marchinha” (Máscara Negra), que, inclusive me ofertou inspiração para iniciar este “causo” “… foi bom te ver outra vez, ta fazendo um ano, foi no carnaval que passou…”.

Parabéns, queridos amigos do “Dragões da Vila”, Botucatu Tênis Clube, Associação Atlética Botucatuense e Associação Atlética Ferroviária, por entenderem a importância de preservar a raiz de uma cultura que, como o FUTEBOL, está no sangue de todos os brasileiros: O CARNAVAL de verdade.

Peço perdão aos meus caros leitores para deixar um pouquinho de lado todas as maravilhas colhidas durante os quatro dias de festividades do “Rei Momo”, para abraçar, em forma de homenagem póstuma, um corintianíssimo de carteirinha e um dos maiores unespianos de todos os tempos que, inclusive ocupou os mais importantes cargos na vida de liderança dentro da Universidade; um colunista social “classe A”, muito prestigiado e um fiscalizador de primeira linha que, por longos seis anos, fiscalizou todas as contas no período em que estive presidente na nossa conceituadíssima Associação dos Servidores da UNESP – ASU (graças a Deus, todas acabaram aprovadas) e, por fim, um pai de família que só deixou exemplos a todos nós: meu amigo Geraldo Garcia.

Essa figura amável e cheia de qualidades, na segunda-feira de carnaval, trocou as belezas e os encantos de uma vida bem vivida aqui neste mundinho passageiro que não pertence a ninguém, para ir morar ao lado do nosso PAI. Descanse em paz e até qualquer dia grande companheiro!

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemão.famesp@gmail.com