“… JOGA PRA MIM, EU AINDA NÃO VI O BRASIL CAMPEÃO DO MUNDO…”

É, minha gente, este nosso querido e rico Brasil, apesar de toda grandeza continua “espalhando” decepção. Nem mesmo o bonito e emocionante “reclame” do grande frigorífico SADIA pôde sensibilizar nossa “tropa”. O comercial exibido várias vezes ao dia, em todos os canais da televisão brasileira durante toda a Copa do Mundo, no qual um “punhado” de lindas crianças fazia um comovente apelo aos jogadores da seleção verde amarela foi capaz de motivar nossos craques. Perdemos um jogo (e feio), na hora que não podíamos perder e vimos o sonho do hexacampeonato mundial fugir de novo.

 “EU JÁ SABIA”!

Confesso que para mim tudo o que houve já era previsível. Claro que aquela esperança que sempre me acompanha, principalmente quando o assunto é futebol (afinal, sou corinthiano desde os tempos em que o “timão” ficou vinte e três anos sem ganhar uma competição de peso) esteve ao meu lado, no entanto, não tem como “querer” ser vitorioso em uma competição cujos participantes são estruturados e evoluídos (e “nóis” fomos à luta, com jogadores medíocres – que, ressalte-se ganham muito dinheiro).

E um “comandante” – Luiz Felipe Scolari, todinho arrogante, prepotente, mal educado, dono da verdade, enfim, energia negativa pura, aliás, o perfil que adota é bem parecido com o da nossa Presidente Dilma (com a palavra, os colegas jornalistas de todo o país) e, o pior que pouco, ou quase nada, sabe de futebol. Esse “treineiro”, um verdadeiro “entregador de camisas”, afundou anos atrás, um dos maiores clubes do país, a Sociedade Esportiva Palmeiras, jogando-a na 2ª Divisão do futebol brasileiro.

Sem medo de errar posso assegurar que dentre os 23 convocados pelo “homão”, só três jogadores podem ser titulares da nossa Seleção, outros dez seriam reservas “meia boca” e os demais, tchau, tchau. Nego-me a falar do ultrapassado “professor” de Educação Física, Carlos Alberto Parreira, componente mor da Comissão Técnica da Seleção Brasileira e, muito menos do tal de Murtosa. Este aqui é demais! O que este “cara” fazia na seleção? “ETA” BRASIL BRASILEIRO!

“Bão”, agora que o barco afundou não nos resta outra saída a não ser, afogar as mágoas ocasionadas por uma “baita” decepção e torcer (muito) para uma remodelação em tudo no nosso futebol, em especial, na “casa” desses poderosos que mandam e desmandam em tudo, a Confederação Brasileira de Futebol – CBF; afinal, por lá a coisa é mais feia ainda, pelo menos os noticiários “mandam bala” diariamente nos seus dirigentes.

Lamentavelmente, o desejo pela conquista do Hexa foi adiado para 2018 na Rússia. Continuaremos sonhando, porém, que seja um sonho diferente desse que amargamos nesta copa. Infelizmente sonhei e hoje estou envergonhado de tudo o que vi. De novo cheguei a lembrar dos dizeres de uma música do meu compadre Zé Rico que é uma realidade em nosso país: “…poucos têm muito, muitos sem nada; povo que sonha, dorme a vergonha da Pátria Amada…”. Que horror!

Mesmo consternado com tanto desapontamento, acho que essa derrota vai servir, ao menos, para as nossas crianças, essas mesmas que, por vários dias atentaram para a tocante publicidade da SADIA. Nossa juventude também sempre fez a diferença em tudo.

Mais uma só: juro que não estou aguentando essa monstruosa ofensa. Tenho de perguntar: o que justifica esses vergonhosos salários dos nossos “astros”? Até o do “badaladíssimo” Neymar, que, diga-se, “apareceu”, mas, em minha opinião, também não deu as caras. Você que não tem a noção de onde quero chegar, entra na Internet e veja se estou certo ou errado. Acho que alguém precisava mostrar a esses “craques”, a seus empresários e aqueles que os pagam, os jogos do Brasil na copa de 70. Quem sabe, eles possam cair na real.

Num país onde o salário mínimo não chega oitocentos reais e, grande parte da nossa gente não consegue sobreviver com o que ganha, porque vive só disso, receber um milhão de reais por mês, na minha visão, chega a ser uma ofensa aos princípios divinos.

Acredito que algo de bom (claro, que sou otimista!) acontecerá neste país cinco vezes campeão do mundo, até porque, nunca fomos massacrados, como no jogo da Alemanha. Foi humilhante demais os 7 a 1. Continuo “engasgado”!

Tão logo terminou a prorrogação do jogo que deu a vitória ao time alemão, tive a grata satisfação de receber uma mensagem de um grande amigo (Major PM Semensati), que, de um jeito bastante claro, “rolou solta” na Internet e trouxe um pouquinho de conforto, não só para mim, mas, para todos aqueles apreciadores de um jogo de futebol praticado com seriedade, com disciplina e, principalmente, com profissionalismo.

Nela estava visivelmente estampado como a equipe da Alemanha se preparou para voltar a conquistar títulos; um veemente repúdio ao jeito “aplicado” pelo Brasil nessa copa e, mais ainda, como se deve amar a Pátria.

Peço licença, a você caro leitor, para transcrevê-la na íntegra: “Isso representa mais que um simples jogo! Representa a vitória da competência sobre a malandragem! Serve de exemplo para gerações de crianças (essas mesmas que não tinham o direito de serem humilhadas) que saberão que pra vencer na vida tem que ralar, treinar, estudar! Acabar com essa história de jeitinho malandro do brasileiro que ganha jogo com o seu gingado, ganha dinheiro sem ser suado, vira presidente sem ter estudado!

O grande legado desta copa é o exemplo para gerações do futuro! Que um país é feito por uma população honesta, trabalhadora e não por parasitas criadas por um governo que nos ensina a receber o alimento na boca e não a lutar para obtê-lo! A Alemanha ganha com maestria e merecimento! Que nos sirva de lição! Pátria Amada Brasil tem que ser amada todos os dias no nosso trabalho, no nosso estudo, na nossa honestidade! Não amar a Pátria em um jogo de futebol e no outro dia roubar o país num ato de corrupção (seja ele qual for), ou furando uma fila, sonegando impostos, matando, roubando! Que amor à Pátria é esse? Já chega! O Brasil cansou de ser traído por seu próprio povo! Que sirva de lição para que nos agigantemos para construirmos um país melhor! Educar nossos filhos para uma geração de vergonha! Uma verdadeira Nação se orgulha do seu povo e não só do seu futebol!” É isso aí! Falei!

Tristezas à parte envio o meu carinhoso abraço desta semana a duas figuras maiúsculas do meu rol de amigos, leitores assíduos dos meus “causos” e que também estão de “cabeça inchada”: o são-paulino Roberto “Piramboia” Listone e o querido e simpático Doutor José Nelson de Andrade Moreira, um dos mais conceituados oftalmologistas do Brasil.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com