Quem pleiteia ser o prefeito de Botucatu?

Até outubro deste ano, quando se expira o prazo para filiação partidária para aqueles que pretendem concorrer cargos públicos (vereador e prefeito) em 2016, haverá muita especulação para se definir quem estará no pleito para ocupar a cadeira do atual prefeito João Cury, assim como as 11 cadeiras da Câmara Municipal.

Como João Cury Neto está fora da disputa o caminho (na situação) para outros postulantes ao cargo está aberto. Diversas frentes aventam a possibilidade de lançar seus candidatos alicerçados em coligações que deverão ser formadas.

Como não podia deixar de ser uma das candidaturas deverá vir do Executivo e muitos nomes são cogitados para ganhar o apoio do prefeito para o cargo majoritário ou mesmo para vice. Carlos Eduardo Colenci, o Caco (secretário de Governo), Antônio Luiz Caldas Júnior (vice-prefeito), Milton Bosco (secretário adjunto da Agricultura), e os vereadores  Izaias Colino, Ednei Carreira e André Rogério Barbosa, o Curumim, são alguns nomes.

No PT o ex-prefeito Mário Ielo é o favorito, mas se por ventura não for candidato o nome mais cotado para substituí-lo é o da sua esposa, a vereadora Rose Ielo. Embora o partido tenha perdido filiados nos últimos anos continua sendo uma grande força e não deverá deixar de  lançar candidatura própria.

Uma terceira força vem do PP, que se reestruturou na Cidade e poderá lançar a candidatura do advogado Carlos Roberto de Souza, o Beto, com apoio do ex-governador do Estado Paulo Maluf, assim como o advogado Gustavo Bilo, do PSOL, que poderá encabeçar uma das chapas de oposição.

A maior novidade para este pleito deverá vir do PR com a candidatura do advogado Junot de Lara Carvalho, com apoio do deputado Milton Monti.  O advogado vem fazendo um trabalho nos bastidores para consolidar seu nome e ter chances de ganhar a eleição. Outro integrante do partido que não esconde sua intenção de ser candidato é o vereador Reinaldo Mendonça Moreira, o Reinaldinho.

Também não se pode esquecer do vereador Lelo Pagani, que se desligou do PT e é sondado por outros partidos para fazer uma composição política. Outro nome que não pode deixar de ser lembrado é o do advogado Júnior Colenci, mas este poderá ter dificuldade em lançar seu nome. Isso porque o presidente do PMDB é Edison Baptistão que ocupa uma secretaria do atual Governo. 

Com os nomes acima citados dá para fazer um apanhado geral das prováveis candidaturas a prefeito e vice e outros poderão surgir. A junção das forças políticas será definida nos próximos meses. Uma coisa parece certa: a eleição de 2016 promete ser bastante acirrada e com diversas alternativas para os eleitores. Que assim seja! Façam suas apostas! Tremei urna eletrônica!