Que este caso sirva de grito de alerta

Meu assunto para o editorial desta semana não era esse. Entretanto, as reportagens nos meios de comunicação e as postagens nas redes sociais sobre a revelação da identidade do responsável pelo fake “O Botucatuense Botucatu” resultaram numa repercussão muito grande, pois foi um dos episódios mais lamentáveis da história do jornalismo de Botucatu. Espero que o caso sirva como um grito de alerta para as pessoas que usam a força das redes sociais criando fakes (termo usado para denominar contas ou perfis usados na Internet para ocultar a identidade real de um usuário) para denegrir a imagem de desafetos.

Mas algumas coisas me chamaram a atenção sobre o caso e muitas coisas sem fundamento foram ditas. Chegaram ao cúmulo de dizer que o episódio do fake era uma briga entre o Leia Noticias e o Acontece Botucatu. Uma das frases mais infelizes e idiotas que ouvi até hoje em toda minha vida. O caso em si, foi uma ação do PT que se sentiu ofendido com as publicações feitas nesse fake. A briga foi, exclusivamente, entre o PT e o criador do fake, Gero Bonini.

Não dá para prever o desfecho disso tudo, mas, certamente, o acusado por essa infantilidade (prefiro usar esse termo) terá que carregar para sempre esse estigma de fake. Uma mancha desnecessária em sua carreira. Haverá, segundo o advogado, a impetração de três ações distintas nas esferas: criminal, civil e administrativa, por crimes de injúria, calúnia e difamação. Processos prá lá de indigestos. Não bastasse isso, como jornalista, deverá responder ação no Ministério do Trabalho, segundo o advogado, e poderá perder o seu registro (MTB) por atitudes antiéticas e imorais, que contradizem a função do que seria seu trabalho.

E que esse episódio sirva como um grito de alerta para as pessoas que se escondem atrás do anonimato para desabafo de infortúnios e fomentos de inverdades. Tudo tem limite e esse tipo de atitude é execrável em todos os aspectos e precisa ser combatido. E isso é usado, principalmente, em campanhas eleitorais onde os fakes são criados para atacar a honra dos adversários. Independente da sigla partidária, tem muita gente que faz política na base do vale tudo, sem medir conseqüências.

A internet não é inexpugnável e quando alguém desconfiar que uma pessoa desconhecida entre numa conversa ou dê uma opinião suspeita e maldosa, via facebook, deve ficar atenta. Eu, pessoalmente, gostaria de conhecer, a Ynah Cristina Rocha,

{bimg:46669:alt=interna:bimg}

que tantas vezes palpitou maldosamente nas matérias publicadas no perfil do Jornal Acontece Botucatu no facebook e que assim como veio desapareceu quando eu disse (depois de uma discussão um tanto quanto acalorada) que “ela” era um fake e que eu “a” tinha reconhecido pela maneira como escreveu, já que o texto é como uma impressão digital. Deixei várias telas gravadas antes que o perfil saísse do ar e ,juntamente com meus advogados, as guardo com muito carinho. Temos muitas Ynah’s da vida perambulando pela internet, mas felizmente suas identidades, aos poucos, estão sendo reveladas. Olho vivo com elas!