Morte de Eduardo Campos traz novo rumo ? s eleições

A morte trágica e inesperada do candidato à presidência da República Eduardo Campos (PSB) pode mudar, radicalmente, o quadro político que vinha se mantendo desde que as candidaturas foram oficializadas. Isso porque a entrada de Marina Silva como substituta de Campos traz um novo rumo. Com Marina concorrendo é, praticamente, certa a  realização do segundo turno. Sem ela, o pleito corria o risco de ser consolidado no primeiro turno com a vitória de Dilma Roussef (PT).

Agora fica uma dúvida. A entrada de Marina Silva na campanha prejudica a candidatura de Aécio Neves (PSDB) que ocupa a segunda colocação nas pesquisas? É certo que Eduardo Campos teria dificuldade em chegar ao segundo turno das eleições. Com ele no páreo, se houvesse segundo turno, a disputa deveria ficar entre Dilma e Aécio. Agora o quadro pode mudar, existindo a probabilidade clara de a eleição ser decidida entre as duas mulheres, ficando o candidato tucano fora.  E não se vislumbra um confronto entre Marina e Aécio no segundo turno.

A possibilidade de Marina Silva superar Aécio Neves nas pesquisas é real. Ela é uma política que não parece política e isto pode agradar a fatia, cada vez maior, de eleitores que não toleram políticos profissionais. Existe outro detalhe que não pode ser desprezado: Eduardo Campos, mesmo estando morto, pode virar um grande cabo eleitoral de Marina porque ela pode contar com o sentimento de perda do povo brasileiro e surpreender.

Definitivamente, Aécio Neves ficou numa situação incômoda, pois além de ter a sombra de Marina Silva em seus calcanhares no primeiro turno, mesmo que vá para o segundo turno, dificilmente teria apoio dela que, assim como fez na eleição passada onde obteve mais de 20 milhões de votos, deverá manter-se na neutralidade. Por outro lado, os votos de Marina poderão, sim, migrar para o Aécio e Dilma teria dificuldades para ganhar a eleição já que todos partidos de oposição estarão contra ela.

Então o quadro eleitoral ficou interessante e tudo vai depender de como os candidatos irão se apresentar no Horário Eleitoral Gratuito e como os marqueteiros (oportunistas como são) irão trabalhar com o intuito de colar a imagem dos seus respectivos candidatos na de Eduardo Campos, que depois de morto, pode ser o fiel da balança e decisivo no pleito.

E a morte de Eduardo Campos mostrou, mais uma vez, o quanto a demagogia e a mentira fazem parte da rotina da maioria dos políticos. Muitos deles procuraram tirar proveito da situação aparecendo em redes de televisão com a cara de choro como se tivessem perdido um ente da família. De uma hora prá outra passou a ser o melhor amigo íntimo de todos e a solução para o Brasil. Corja de abutres!  É por isso que a política enoja!