Hospital das Clínicas não trata o ser humano como ele merece

Já dissemos aqui nesse mesmo espaço que a autarquização do Hospital das Clínicas (HC) foi uma das piores coisas que poderia acontecer com a Saúde de Botucatu. E isso vem se confirmando a cada dia que passa. Com a autarquia o HC só presta contas de seus atos, através de relatórios pontuais encaminhados, diretamente, ao governo do Estado, que desconhece o que se passa por aqui.

São inúmeras as reclamações do descaso com que o cidadão vem sendo tratado, em área da Saúde onde o HC administra: Pronto Socorro (PS) Pediátrico, Pronto Socorro Regional, Pronto Socorro do próprio HC. Em todos, as reclamações da demora no atendimento são latentes. Estão tratando o ser humano com total indiferença. Parece que ficar doente em Botucatu é crime! E o que é mais impressiona é a frieza com que os casos são tratados, seja pelos servidores, seja pela direção do HC. Também são frias as explicações, além de lacônicas.

Não se pode aceitar que um cidadão botucatuense tenha que esperar mais de oito meses para marcar uma consulta. Ou horas e mais horas para ser atendido no PS! É absurdo! É criminoso! Jesus amado! Será que essas pessoas que tratam o semelhante menos favorecido com tanto descaso conseguem ter uma noite de sono tranquila? Uma pessoa não pode deixar que a profissão, seja ela qual for (e a do médico em especial), fique acima da razão.

Acha que estou exagerando, amigo leitor? Então faça um teste você mesmo. Vá agora, nesse exato momento, independente da hora que seja, a um PS do município e pergunte ? s pessoas que estejam lá quanto tempo já estão esperando. E não se esqueça que estamos falando de Pronto (imediato) Socorro. Faça isso! Não é crítica pela crítica, Deus do céu! É constatação de fatos! A situação das pessoas que não tem recursos para buscar atendimento particular está passando do limite do suportável.

E aqui vamos de novo, fazer um questionamento. Será que todos os médicos, servidores concursados ou aqueles contratados em cargos de confiança que prestam serviços ao HC cumprem com suas obrigações? Não faz muito tempo uma reportagem a nível estadual revelou que alguns médicos não tinham o hábito de cumprir horários. Pior: entravam no hospital para marcar a entrada no cartão de ponto e retornavam para registrarem a saída. E o povo esperando horas intermináveis nos corredores das mais diferentes especialidades. A propósito: alguém foi punido?

Também é bom deixar claro que o HC antes dessa autarquia empurrada goela abaixo para o município, tinha seus problemas, em razão do número acentuado de pessoas que procuram atendimento, não como agora, evidentemente. Mas, o tratamento era diferente, era mais humanizado. Hoje o atendimento, repetimos, é frio, é lacônico. O coitadinho que está do outro lado da mesa do atendente com as mãos entre as pernas é tratado com desdém.

Agora, não podemos nos esquecer de enfocar que nos postos de Saúde da Cidade, assistidos pelo município a situação é diferente. Não tenho procuração para defender o secretário Cláudio Lucas Miranda, mas o exemplo do trabalho humanizado desenvolvido pelos médicos e servidores dos postos de Saúde, deveria ser seguido pela direção do HC. “Tᔠcerto que as situações são antagônicas, mas o respeito ao semelhante cabe em qualquer lugar. Existem falhas? Claro que sim, mas nesses postos os servidores sabem até onde os pacientes residem.

E aqui temos que abrir um parêntese: não são todos os médicos e professores que mancham a imagem do HC. Temos verdadeiros gênios da ciência que prestam inestimáveis serviços ao Brasil com suas descobertas, teses e doutorados. Esses maravilhosos profissionais, certamente, não vestem a carapuça, pois são médicos por vocação e não por imposição e levam ao extremo o código e juramento que fizeram no ato da formação. A eles nosso carinho, profundo respeito e gratidão. Os outros que aqueçam seus atos terrenos frios, calculistas e lacônicos, em tridentes afiados e quentes.