Futebol em estádio acabou para o verdadeiro torcedor

Eu não consigo entender como é que existem pessoas que colocam o futebol acima de tudo, até da própria família. Fanatizam-se ao extremo e cometem as maiores barbáries em estádios. Um bando de imbecis que transformaram os jogos de futebol em verdadeiras praças de guerra. E os imprudentes teimam em levar os filhos aos estádios.

O pior de tudo é que enquanto esses calhordas ficam se matando nas arquibancadas e nas ruas, os jogadores não estão nem aí com os clubes. O que importa para eles é o salário obsceno que recebem todos os meses para garantir as milionárias baladas. Beijam, demagogicamente, o brasão do clube, com o mesmo ímpeto que uma onça morde a capivara. E esses idiotas idolatram esses mercenários futebolistas. Brigam por eles. Vou mais longe: morrem por eles.

O pior de tudo é que esses vândalos travestidos de “torcedores das organizadas” são financiados pelos próprios clubes. Sem exceção! Tem gente que sequer assiste ao jogo. Fica o tempo todo de costas para o gramado. Sua função é “agitar a massa” e fazer “os macacos pularem”. Quem fica parado é admoestado e “convidado” a ir para outro lugar. Esses desclassificados também determinam o lugar daqueles que vão aos estádios com o intuito único de ver o seu time do coração jogar. Cômico, se não fosse trágico.

O certo é que as pessoas de bem, ou seja, os verdadeiros torcedores, deixem de comparecer aos estádios, já que não existe segurança nenhuma. Deixem que essa cambada de marginais se mate, já que a direção das equipes concordam com as barbáries que eles cometem a cada jogo. É como diz o jornalista Flávio Prado: são um monte de lixo.

E o mais irritante é ouvir comentários sobre os “torcedores” que são agredidos e internados num hospital, como no recente jogo entre Vasco da Gama X Atlético Paranaense. Foram chamados (pasmem) de vítimas. Pura balela! São tão bandidos (ou mais) que aqueles que os agrediram. A intenção dessas tais “vítimas” era fazer com que os torcedores adversários fossem ao hospital, mas (desta vez) levaram a pior. Simples assim! Ali, tanto os que bateram como os que apanharam são farinhas do mesmo saco, ou seja, lixo da mesma lata.

E podem acreditar que a tendência é piorar ainda mais, pois o ódio que hoje impera entre os “torcedores das organizadas” é muito maior do que a razão e bom senso. É assombroso e só Deus sabe onde isso poderá chegar. E esse ódio incontido fará com que muita gente ainda venha morrer, até mesmo os torcedores verdadeiros que vão aos estádios com o objetivo único de ver seu time do coração jogar. E, cá entre nós, como é gostoso e emocionante assistir um jogo ao vivo. Mas, isso não pertence mais ao verdadeiro torcedor e sim a esses desclassificados. Vamos, então, liberar os morteiros, rojões, bombas caseiras, bebidas e abolir a revista pessoal.

Hoje, infelizmente, quem vai aos estádios não pode lamentar se uma desgraça abater sobre sua família. Não mesmo! O que acontece dentro (e fora) de um estádio de futebol não é segredo pra ninguém. Perdemos o nosso espaço para esses bandidos, por culpa da impunidade e da conivência dos próprios clubes.

As estatísticas estão aí, gente! As imagens deixam tudo muito claro. O torcedor pode, por exemplo, sair vivo de Botucatu com uma turma de amigos para ver seu time jogar, mas não pode ter certeza de que voltará vivo. O que se sabe é que os marginais, certamente, estarão lá. Devidamente uniformizados! Pra matar ou pra morrer. Sorte de quem sobreviver.