Estádio do Corinthians será de todos

Vamos deixar bem claro que nada tenho contra os corintianos. Muito pelo contrário. O “lero” aqui é com administração do Corinthians, que tem como presidente Andres Sanches, a quem o jornalista Jorge Kajuru,frequentemente, chama de ladrão, safado, mau caráter e outros adjetivos. Então, separemos o joio do trigo.

Mesmo o corintiano mais fanático não pode, no seu interior, aceitar passivo sem ao menos ficar com um lampejo de vergonha, o desenvolvimento do processo para conseguir verba para a construção do Itaquerão, cogitado para ser a sede da abertura da Copa do Mundo, em 2014. O estádio será construído a custa dos impostos pagos pelo contribuinte, orçado em R$ 820 milhões, sendo a mais recente estimativa, pois o estádio corintiano já teve vários orçamentos. Um, inclusive, passou de R$ 1 bilhão e era a menina dos olhos do presidente Andres Sanches e da multimilionária empreiteira Odebrecht.

Então, nesse novo orçamento consta que R$ 400 milhões virão através empréstimos, com juros muito abaixo do mercado, do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), que é órgão do governo. Os outros R$ 420 milhões, de benefícios fiscais. Ou seja, financiamentos e incentivos especiais, por ser obra da Copa, sem, realmente, ser.

Explico: o Ricardo Teixeira (aquele que não resta a menor dúvida), mandatário máximo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já se comprometeu com o senador Aécio Neves para levar a abertura da Copa ao Mineirão, em Minas Gerais, que passa por ampla reforma. Corre a favor de São Paulo a palavra de Ricardo Teixeira, que não tem palavra. Por isso, essa lorota de que São Paulo vai sediar a abertura do Mundial não passa de conversa pra boi dormir. Especulação pura! Tudo foi armado por Teixeira e Andres, para conseguir dinheiro público para fazer o Itaquerão. Aliás, que dupla! Que o diga o Kajuru.

Mas, com essa conversa de Teixeira e Andres de que São Paulo sediará a abertura da Copa, o Corinthians, na verdade, irá ficar no lucro, pois ganhará um estádio novo e moderno com 48 mil lugares, pagos por corintianos, santistas, palmeirenses, sãopaulinos, pontepretanos, piracicabanos e por aí vai… Ah! Ia me esquecendo! O terreno onde será construído o estádio também foi doado pela Prefeitura de São Paulo. “Peraí”: o estádio do Corinthians vai ficar de graça? Por favor, me belisque!

E os absurdos não param por aí. A renda dos jogos não irá para os cofres do Corinthians e sim para a Odebrecht. Parece brincadeira, mas não é. O Corinthians terá direito aos valores pagos pela televisão e venda de jogadores. Toda a renda é da Odebrecht, que também poderá explorar shows no Itaquerão. Isso reza no contrato! E o senhor Andres Sanches chorou quando assinou. Só podia estar chorando de vergonha. Ou de remorso. Ou… Deixa pra lá!

Mais uma: mesmo já estando certa a abertura da Copa no Mineirão (e o senhor Andres sabe disso), cogita-se a abertura para o Itaquerão, mas para isso seriam necessários mais R$ 70 milhões para instalar ali os 20 mil lugares e chegar aos 68 mil necessários exigidos pela FIFA. O próprio Andres tem na ponta da língua a seguinte frase. “O Corinthians precisa de um estádio de 48 mil lugares; se a Prefeitura e o governo estadual querem a abertura, têm de pagar por isso”. Que cara de pau!

Mas, convenhamos, o que se pode esperar de um cidadão que se tornou o braço direito de Kiavash “Kia” Joorabchian empresário anglo-iraniano, que fundou uma empresa de fachada chamada Media Sports Investment (MSI) e que quase levou o Corinthians ? falência na época do presidente Alberto Dualib? Andres Sanches e Kia Joorabchian eram unha e carne. Ou melhor, são. Farinha do mesmo saco! Cáries do mesmo dente!

E o Kia Joorabchian, por sua vez, continua sendo o “homem” de Boris Berezovsky, talvez o mais rico dos oligarcas russos, que entre suas atuações ganha fortunas fazendo intermediação de venda de jogadores pelo mundo e tem a prisão decretada em vários países do planeta. O iraniano, na gestão Andres, continua com muita influência dentro do Corinthians. Querem uma prova cabal da presença de Kia no Corinthians junto a Andres? O Carlitos Tevez virá (pode acreditar nisso) para o Brasil no final do ano pela bagatela de R$ 90 milhões. O empresário de Tevez? Kia Joorabchian é claro!