Chega de pedágios, senhor governador!

São, até agora, 153 pedágios em 6.400 quilômetros nas rodovias paulistas, em 20 concessões. Um número bastante considerável que deveria ser revisto para que algumas praças fossem desativadas. Porém,  o governo do Estado faz, exatamente, o contrário e vislumbra a possibilidade da abertura de outras 24  novas praças, divididas em quatro lotes, em 2.266 km de vias, onde deverão trafegar 306 mil veículos por dia em 2017.

Como não podia deixar de ser, a cobrança nos novos pedágios  que tem  previsão de começar a vigorar nas próximas férias de verão, já é alvo de queixas e protestos de moradores, associações, empresários, prefeitos, sindicatos de transporte de carga, entre outros, que se articulam para tentar fazer com que o governador reveja sua posição.  

E o cara de pau do secretário de Logística e Transportes da gestão Geraldo Alckmin (PSDB), Duarte Nogueira, incisivo na defesa dos pedágios afirmou que “a implantação de novas praças em São Paulo faz parte de um programa que mostrou ter sucesso no Estado”.  Disse ainda que “a parceria com a iniciativa privada é importante porque o governo não tem recursos para as obras de melhorias”.  

Foi mais longe ao argumentar que  “se a sociedade mostrar que não quer um benefício proposto em determinado lote, ninguém vai colocá-lo a fórceps. Onde o programa passou, aumentou a renda da população, os empregos e a eficiência do setor produtivo; reduziu o consumo de combustível;  tornou a viagem mais rápida; e que os pedágios serão 27% mais baratos”. 

Para completar salientou que  “os editais vão prever a possibilidade de descontos nas tarifas dependendo do dia ou do horário em que o motorista passar pelas cabines e o sistema permite que São Paulo tenha mais eficiência no transporte, gerando menos custos de manutenção de caminhões, pois as rodovias não têm buracos, são bem sinalizadas e permitem mais rapidez no transporte”. Durma com um barulho deste! 

A região Centro Oeste Paulista, onde se inclui Botucatu, já está com as praças delineadas. Uma delas deve ser instalada no km 160 da rodovia Geraldo Pereira de Barros (SP-191) entre São Manuel e Piracicaba.  Na rodovia João Melão (SP -255) deverá ser instalado três novas praças: uma no km 167, entre Barra Bonita e Jaú, outra no km 218, em Santa Maria da Serra e uma terceira no km 228, entre Pratânia e Avaré. Também deverá ter uma nova praça de pedágio em Assis, no km 414 da rodovia Miguel Jubran; em Echaporã, no km 356 da rodovia Rachid Rayes e na rodovia Dona Leonor Mendes de Barros, em Pongaí. E nesse embalo dos pedágios, o governador poderia pensar, também em reativar o da Castelinho (aquele) em Botucatu. Lembram-se dele?

A verdade é que o governo, por pura incapacidade de solucionar  os problemas das rodovias joga o problema no colo das concessionárias que recebem quantias nababescas para explorar os abusivos preços das tarifas. E o cidadão comum, como sempre, arca com o prejuízo.  Então senhor governador, que ama tanto a região, muito obrigado pelos (muitos) pedágios que já temos e pelos (vários) que estão por vir.