A Lei e a Ordem em Botucatu através da Arquitetura

Construção do Fórum de Botucatu

ppp03

O Fórum sempre funcionou em casas alugadas, principalmente durante a era do Império, antes da vinda da República o município construiu sua Cadeia, inicialmente na Praça do Bosque, antigo largo Santa Cruz, enquanto o Fórum funcionava na Cesário Alvim atual Rua João Passos, aproximadamente na altura da Praça do Paratodos. Cartórios e seus serviços funcionavam em casas particulares, geralmente onde os escrivães moravam. Assim, também, eram os Cartórios de Coletores de Rendas do Estado, cada serviço público funcionava em um ponto distinto ao outro. Havia, portanto, desde então, a necessidade de construção de um prédio que abrigasse todos esses serviços.

Uma segunda Cadeia foi construída já durante a República, na última década do século XIX, na Praça 15 de Novembro, no mesmo lote onde hoje se situam o Teatro Cine Nelli, Centro Cultural, Prefeitura e OAB, até a inauguração do prédio Fórum/Cadeia, no início do século.

ppp02Foi para servir de casa para uma nova Cadeia Pública, em conjunto com o Fórum, que o Estado propôs a construção do edifício, encomendando a obra para o grande Arquiteto Ramos de Azevedo que edificou o mais belo edifício de Fórum do Estado na época, marcando ali o auge do poder botucatuense através de grandes construções. Era costume construir um mesmo edifício para servir de Fórum/Cadeia, existem dezenas de municípios no Estado de São Paulo que receberam investimentos para esse fim.

Nos altos da cidade existia um terreno grande onde havia sido um cemitério, mas a ocupação do terreno demorou a ser feita. Nos fundos da antiga Matriz, o município abriu a Avenida Dom Lúcio, chamada da Saudade, ligando o Largo da Matriz ao novo cemitério, Portal das Cruzes. Exatamente o início da construção não se pode afirmar, já que a mesma ficou parada algum tempo, deixada ao ócio, suas obras foram retomadas em 1920.

Sua conclusão demorou dois anos, em agosto de 1922, o prédio estava levantado, mas faltavam alguns acabamentos como: muros, gradil e complementos do edifício. Só mesmo em fevereiro de 1924, quase quatro anos desde o início da fase conclusiva da construção, o prédio foi inaugurado.

ppp01Ao Fórum foi dado o nome “Desembargador Alcides Ferrari”, homenageando o primeiro advogado nascido em Botucatu. Um enorme e suntuoso gradil separava o prédio da rua, limitando o acesso dos pedestres ao seu jardim, em 1932, com a eclosão da Revolução Constitucionalista, o gradil de diversos prédios públicos da cidade foram derretidos, como o da Escola Normal e do Fórum/Cadeia com a intenção de fabricação de armas bélicas para o conflito.

Hoje o belíssimo edifício não mais serve à Lei e a Ordem, será a casa do rico acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo, sendo Botucatu a primeira cidade do Estado a receber o acervo fora do edifício localizado na cidade de São Paulo, e esse edifício já cheio de história, se preencherá internamente das mais ricas obras dos grandes artistas que mudaram a forma de ver o mundo através da arte. A bela história desse edifício, agora preservada, contará as gerações futuras mais esse lindo capítulo na história da cidade no alto da serra.

Texto: Arqueito Pedro Paulo Pacheco