Pressa e o lançar da semente

 

Na história de nossa vida geralmente recolhemos tudo aquilo que plantamos no decorrer de cada ano vivido. Nem sempre colhemos frutos que nos agradam, porém, todos os frutos recolhidos podem nos ajudar a refletir e melhorar a semeadura. Interessante também notar que existem momentos que nem ao menos notamos o tipo de semente que estamos lançando, pelo fato que a rapidez e a pressa da vida cotidiana acaba por nos impedir de termos a consciência de cada semente lançada.

A força de cada semente está intrinsicamente ligada na futura geração do fruto, ou seja, impossível uma semente boa dar frutos ruins, a consciência de cada semente lançada é fundamental para nós fazermos pessoas melhores, além de construirmos colheitas comuns para todos aqueles que estão ao nosso redor, afinal os frutos estão ao alcance de todos.

A agitação, a pressa cotidiana pode nos roubar a sensibilidade de nossa percepção e desta maneira retirar a responsabilidade diante de frutos “apodrecidos” que encontramos pelo caminho da vida. Quando perdemos está sensibilidade não somos capazes de averiguar o que estamos plantando em nossos relacionamentos em casa, no trabalho e geralmente seremos surpreendidos quando um dos frutos nos afetar. Pode ser que tenhamos tempo para mudar nosso plantio, mas não podemos correr este risco, muito mais vantajoso e avaliarmos a semente antes de lança-la, se realmente vale a pena, se de fato plantando tal semente iremos colher frutos bons ou as pessoas terão a oportunidade de saborear os frutos gerados pela semente que semeamos. Não permita a pressa, o corre-corre, retirar a consciência das sementes que estão sendo plantadas, pois tenha certeza que cedo ou tarde os frutos virão!!!

Padre Emerson