WHATSAPP E A REDENÇÃO DOS PECADOS

Que a tecnologia e as novas formas de comunicação estão presentes em todos os momentos de nossas vidas na atualidade, disso ninguém duvida, neste momento estou me utilizando dela para falar ao mesmo tempo com incontáveis pessoas, mas a forma que isso acontece talvez precisemos questionar.

Algumas redes sociais acabaram por aniquilar de vez o respeito ao outro. Uma simples mensagem justifica tudo. Dia destes estava aguardando algumas pessoas, daquelas que sempre se atrasam, ao que recebi mensagens pelo WhatsApp dizendo: me aguarde, já estou chegando. Ao chegar, mesmo sem se desculpar pelo atraso, as pessoas simplesmente indagaram: você viu que mandei um “zap-zap”, né? Pensei o quanto essa forma de comunicação dispensa o respeito ao outro, pois o simples fato de enviar uma mensagem por esta via redime as pessoas do tradicional respeito e escusas. A inversão de valores é tamanha que, num lapso de tempo, me perguntei se não seria melhor me desculpar por ter chegado no horário combinado…

Agora é assim, as pessoas compartilham seu número e todos se sentem a vontade para, a qualquer momento, invadirem a sua privacidade solicitando toda sorte de informações que, em tempos outros, certamente esperariam, sentindo-se ofendidas se não respondemos.

Sim, também uso essa tecnologia para me conectar e contatar pessoas, mas tenho me questionado sobre a forma e uso disso tudo. Acredito que possamos usar, mas com aquela velha parcimônia, educação, respeito ao outro.

Olha só que interessante, neste exato momento entrou uma mensagem em meu celular, via whats, com o seguinte teor: professor desculpa, mas que horário te encontro amanhã? Jung, o mestre suíço da Psicologia, diria que isso é sincronicidade. Gente, eu não marquei nada com esse aluno para amanhã, só dou aula a ele às segundas-feiras (hoje é terça), como também não dei meu número!

A modernidade alimenta a falta de limites das pessoas e, de certa forma, não permite que elas se resignem ao tempo cronológico e a si mesmas, mas sempre ao tempo da ansiedade e do imediatismo. É comum vermos pessoas que, por conta do imediatismo, atropelam as regras e o bom senso, deixando à margem qualquer regra de educação. Esse tipo de comunicação, me parece, deixa clara a necessidade de organizarmos aspectos de ansiedade e respeito.

WhatsApp virou o redentor das relações… Dispensa comentários, mas oferece reflexões!