VÊNUS A ESTRELA DA MANHÃ

Quando você olha para o céu e vê um ponto brilhante se destacando no entardecer, pode contemplar uma das maiores belezas que o universo nos proporciona. Muitos chamam este ponto luminoso de “Estrela D`Alva”. Poetas e trovadores fizeram prosas e versos de rara beleza, inspirados neste espetáculo vespertino e matutino. Ao olharmos para a “Estrela da Manhã”, muitos podem não saber, mas na realidade estamos contemplando um planeta. E o nome deste corpo celeste tão bonito no céu, é Vênus, que na mitologia grega, se refere a deusa da beleza.

Longe dos apaixonados versos poéticos, Vênus na realidade é um mundo hostil, sem vida, e rochoso, com intensa atividade vulcânica. Apelidado pelos astrônomos da antiguidade como “irmão gêmeo” da Terra, hoje sabemos que suas semelhanças com nosso planeta se referem apenas ao tamanho, já que Vênus é pouco menor.

A atmosfera venusiana é pesada, com uma pressão de superfície 93 vezes superior à da Terra ao nível do mar. Esta atmosfera possui 30.000 vezes mais dióxido de carbono do que a do nosso planeta, mas curiosamente os dois mundos apresentam quantidades semelhantes deste elemento químico, com a diferença de que em Vênus ele se concentra nas camadas superiores e na Terra se encontra em maior quantidade nas rochas. O nitrogênio compõe 3,5% da atmosfera de Vênus. Outra curiosidade é que enquanto a atmosfera da Terra contem nuvens de vapor d água, Vênus possui nuvens de

ácido sulfúrico, com ventos que atingem uma velocidade de 100 metros por segundo.

Como estes ventos sopram na mesma direção em que o planeta gira, eles são

Chamados cientificamente de ventos "super-rotação".

Entre as características de sua superfície, Vênus tem 8% da mesma coberta por planícies que foram formadas por depósitos deixados pela atividade vulcânica. Embora atualmente se sabe que existam abalos sísmicos no planeta, não há evidências de que exista um sistema global de placas que se movimentem como na Terra.

Para os cientistas ainda não ficou claro se já existiu água em Vênus. Contudo, mesmo que um dia ela tenha existido, a temperatura atual da superfície deste planeta (460º C) não permitiria que ela permanecesse na forma liquida, já que esta temperatura é alta o suficiente para fundir chumbo. Aliás, outra particularidade muito curiosa de Vênus é que, apesar de ser o segundo mundo depois do Sol (o primeiro é Mercúrio), por causa do efeito estufa, o planeta é o mais quente do Sistema Solar.

 Por causa da atmosfera muito densa e temperaturas anormais, os cientistas sabem que é impossível a existência de qualquer tipo de vida em Vênus, mas muitos cientistas acreditam que a milhões de anos atrás (segundo os evolucionistas), o planeta tenha abrigado um oceano como a Terra. Mesmo assim são só hipóteses, que não podem ser comprovadas.

Segundo planeta em distância com relação ao Sol e o mais próximo da Terra. O diâmetro de Vênus é de 6.052 km e está a uma distância de 0,72 u.a. do nosso astro rei. Sua translação é de aproximadamente 224 dias, girando em torno de seu eixo a cada 243 dias, numa rotação retrógrada ou seja, o oposto da direção de sua órbita.

Vênus faz parte dos mistérios do Sistema Solar, e sua superfície ainda causa deslumbre entre renomados cientistas e astrônomos. A “deusa” da beleza, continua desfilando pela passarela do cosmos, e seu brilho é como jóia rara entre os brilhantes súditos que a rodeiam.

 

César Junior