TUDO SOBRE A BIBLIA Nº54

Shalom Adonai! (A Paz do Senhor!)

É mais uma viração do dia que passa uma após outra; parecendo não ter fim. O cotidiano segue cheio de intempéries mil que parece vai nos sucumbir a cada segundo do nosso folego de vida. Sinto-me rodeado de uma imensidão de soldados inimigos que anseiam a minha destruição e os olhos espirituais daqueles que estão comigo e até mesmo ao meu lado estão serrados para esta realidade; imaginando ser uma questão humana e racional que por equívocos mil acaba se agindo pelo coração e erroneamente. Necessitamos sempre agir racionalmente seguindo as Escrituras em obediência vontade de Deus e não a vontade da nossa carne.

A Fé também é racional quando temos a mente de Cristo e vivemos no Espírito. Mas, partamos agora para o nosso texto de Gênesis capítulo 2 e verso de número 17, que diz: “mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres,certamente morrerás.” [Bíblia Sagrada Almeida Revista e Corrigida – SBB] Vejamosaqui é dito: mas..e esse “mas” tem o sentido de porém, toda via. Sendo assim algo condicional. A condição da consequência do ato prescrito era determinante e sem margem para dúvida ou questionamento algum. “Certamente morrerás”. Não bastasse isso; aquele que estava proferindo aquela normativa a ser cumprida era nada mais, nada menos, que o próprio Deus Eterno.

Já que estamos no objeto de nossas consideraçõesprossigamos em nossas considerações com respeito aos registros de Tutmósis (Moisés). Recordemos que não existia apena uma única arvore frutífera na região do Éden, pois, Deus nessa região antes de colocar o homem ali para guarda-la plantou um jardim. Podemos entender que Deus colocou tudo o que era necessário para suprir as necessidades do homem por ele criado a sua imagem e semelhança. Em um jardim existia toda sorte de arvoresfrutíferas para a alimentação do homem.

Também tinha toda sorte de animais – selvagens e domésticos. Como sabemos, Adão teve que dar nome aos animais. Tinha também, com boa probabilidade, toda sorte de flores exalando um perfume maravilhoso. Nesse senário paradisíaco é que figura a nossa árvore da ciência do bem e do mal. A “arvore da ciência”, quando lemos soa em nossos ouvidos meio estranho a primeira audição, mas, se analisarmos ainda que primariamente. Veremos que, quando se fala em ciência está se referindo ao seu amplo significado: sabedoria, conhecimento, estudo. Mas o homem ainda era inocente como uma criança em tenra idade.

A inocência muitas vezes pode nos fazer passar momentos de ridículo ou até por alguém que não somos. Existem pessoas que são inocentes em algum assunto e outras se fazem de inocentes em determinadas matérias. A inocência demonstrada por Adão foi uma liçãoregistrada nas Escrituras para o nosso aprendizado.

 

Pastor Murilo Mendes Maciel; Th B, Cpl, Th M

COMOESPO nº1348 /CGADB nº74041

pr.murilomaciel@gmail.com