TUDO SOBRE A BÍBLIA – nº 44

Shalom Aleichem (A Paz esteja contigo)!

Prossigamos em Gênesis 2:8 – “Ora, o Senhor Deus tinha plantado um jardim no Éden, para os lados do leste; e ali colocou o homem que formara.” [Bíblia NVI – Android]
É próximo da meia noite de uma segunda-feira e estou digitando em meu microcomputador desktop; a chuva cai mansamente lá fora e dentro retorno aos idos de Tutmósis e seu registro do Pentateuco, mais precisamente o Livro de Gênesis que deveria ser chamado de Gênese, o principio da vida. Eu preservado o seu original hebraico transliterado BERESHIT, principio. Mas temos grafado em nossas Bíblias o termo Transliterado grego, ou o seu aproximado; pois é retirado da versão grega do antigo testamento chamada Septuaginta. Esse nome quer dizer versão dos setenta ou mais precisamente setenta e dois. Pois bem; vamos ao texto: “o Senhor Deus tinha plantado um jardim no Éden”. Tutmósis prossegue, em sua narrativa, fazendo menção da bondade divinal do Pai amado, quando diz que o criador tinha plantado um Jardim no Éden. Vamos lá, Éden é o nome de uma região criada por Deus em toda a dimensão do nosso planeta. E primeiramente Deus criou tudo e todos para posteriormente plantar um jardim na região denominada Éden. E não como querem alguns teólogos – criado um Éden mineral e depois outro Éden vegetal se assim podemos aludir a essa teoria. Pode parecer tolice, mas tem pessoas boas e bem intencionadas que propagam essa posição teológica; mas, vamos a nossa análise desta polêmica. Deus criou um jardim do Éden, como popular mente se divulga ou criou Deus criou o nosso o Éden mineral e depois criou o Éden vegetal. Valos pela lógica simplista de toda a Bíblia. Deus criou o nosso planeta e após a sua criação primária deu seqüência em seu ato criativo a terra seca e a separação das águas como já vimos era e foi uma realidade, isso confirma a teoria cientifica a respeito. O ato de plantar um jardim especificamente em uma região; não significa que as demais partes do planeta já não tinham vegetação; mas, sim, que uma atenção especial foi dada a uma região especifica com um propósito diferenciado. Poderia ter sido chamada de qualquer outro nome, mas Deus aprove chamá-la de Éden. Nem Deus, nem muito menos Tutmósis estava preocupado com o que seus leitores iriam achar que era o Éden, ou como ele era. Apenas era uma atitude especial do criado com uma finalidade própria.

{n}DR. PR. MURILO MENDES MACIEL
TEÓLOGO – OTIB nº44
pr.murilomaciel@gmail.com