Toda ação tem uma reação!

Sempre me coloco a pensar em o que e como escrever a você que espera minhas palavras; como fui falso modesto…

Quero pensar novamente com você sobre os efeitos e as causas que as mudanças fazem em nossa vida…

Assim disse Miguel de  Cervantes: “Elimine a causa e o efeito cessa” e essa é uma notória verdade; pois o efeito de algo só advém mediante as causas que o provoca… Se não provocarmos (causarmos) não teremos efeito de nada… Toda ação tem uma reação… Para ser fidedigno: “ Para cada ação há uma reação igual e oposta. Você recebe do mundo o que você dá ao mundo”.(Gary Zukav); “nada há de feito que não tenha um efeito” (Pe. Delair); viu? Também sou um pensador… Ah se pensasse… Não faria tanta besteira.

Muitas vezes somos tão inconsequentes como a criança que se lança ao colo do pai, mesmo sem ter a certeza que este o amparará… Somente se lança, na confiança.

Em Pratânia, onde estou pároco, tem uma menininha,  filha do Mário e da Flávia, que, ao que me dissera o avô, se lança sem medo quando alguém de sua família a convida a se lançar… Seja da altura que for e como for… Somente se lança… Será que nós somos assim? Na confiança nos lançamos? Pena que por vezes confiamos nas pessoas e as mesmas “nos detonam” na primeira chance…

Mas voltemos à ação que gera reação ou feito que gera efeito…

Por vezes transformamos nossas causas em efeitos perpétuos e nos esquecemos de que as coisas mudam e nem sempre ficarão como deixamos ou queremos… Tudo deve mudar para reanimar as coisas… Não é porque programamos algo que isso acontecerá… Temos que saber mudar com as mudanças e aprender com elas senão continuaremos nas “mesmices” sem nada de novo a cada momento em nossa vida… Uma vida projetada e “regradinha” demais deve ser muito chata.

Sempre digo aos casais que o casamento acaba pelas mesmices… Nunca se nova e inova… Nunca se acertam arestas e nunca se conversa… Se bem que acho que conversa demais não gera nada, bem como reuniões multiplicadas… Multiplicam-se palavras e subtraem-se ações!

Assim como sempre digo aos membros da Fraternidade Missionária da Divina Providência que, em nosso caso, de consagrados a Deus, pela Igreja, se as coisas não vão bem é porque nosso joelho não vai bem de encontro Àquele que se crê ter nos chamado. Se não conhecemos, não  e não ouvimos a causa podemos aguardar que os efeitos virão.

 

Pensemos nisso e tudo será melhor para nós..

 

Com um beijo de Jesus, pelos lábios de Maria e no abraço de José:

 

Pe. Delair Cuerva, fmdp