Permita que as pessoas usem a inteligência

Um gerente, amigo meu, contou-me um fato pitoresco que aconteceu com ele quando era ainda estagiário.

Ele fazia estágio numa grande empresa, no departamento de contabilidade. Estava aprendendo a fazer a contabilização das despesas e seu chefe lhe entregou uma nota fiscal de compra de água e disse que era para lançar na conta Gêneros Alimentícios.

Ele assim fez… No outro dia, o chefe entregou uma nota de compra de gelo e disse para ele lançar na conta Gastos Gerais. Ele estranhou e perguntou ao chefe por que a compra de água era lançada na conta Gêneros Alimentícios e a de gelo, na conta de Gastos Gerais. E o chefe lhe disse:

– Sabe por que estou aqui há trinta anos? Porque nunca fiz esta pergunta para ninguém. Portanto, não pergunte mais e lance a despesa como estou dizendo!

Hoje, ele lembra o fato de forma divertida e até como se fosse uma anedota. Contudo, a rigor, a cena reflete um comportamento antigo e ultrapassado, mas que infelizmente ainda existe em muitas empresas.
Há muitas pessoas que simplesmente dão ordens para que sejam cumpridas e não aceitam que discordem delas.

O mundo mudou e as pessoas não aceitam que discordem delas. O mundo e as pessoas não aceitam mais esse tipo de postura. Se você está na função de gerente ou diretor, de pai, mãe, marido ou esposa, permita que os seus usem a inteligência e questionem as suas orientações. Na maioria das vezes, você vai estar certo, mas em muitas ocasiões vai ver que eles estão com a razão.