Pensamento…

Estava eu pensando com meus botões da batina, que não são poucos, sobre como as coisas hoje em dia são fáceis… Bem sei que já peguei um tempo em que as coisas já eram mais fáceis ainda; mas hoje em dia, como diz o gaúcho, Bah!. É muita mordomia!

Não precisamos fazer comida… Temos o microondas e o “delivery”.

Não precisamos esfregar as roupas… Temos a máquina de lavar roupas.

Nem levantar para mudar de canal televisivo precisamos… Olha o controle remoto!

É… As coisas estão fáceis demais.

Bem por isso sobra-se tempo para pensar em coisas que não são necessárias e tempo ainda maior para sentir e deixar a depressão tomar conta do dito homem moderno.

Vem ainda o grande Albert Einstein a completar: “A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.” E isso ainda vem dizer que quando a gente se abre ao novo e não vive de coisas passadas podemos ser grandes, pois a criança só aprende quando começa a lutar e aprender a não mais cair ou ao cair, aprende a levantar-se.

São pensamentos assim que nos orientam a não sermos seres estagnados, alienados e travados em nosso “mundinho”.

Temos que aprender que “nenhum homem é uma ilha” como disse John Donne, poeta inglês do século XVI e que precisamos aprender com alguém para ensinar a outro alguém… É a trajetória da vida… Receber algo e deixar este algo melhorado ou ao menos igual; nunca inferior. É preciso lembrar que nossas experiências podem ajudar o mundo a ser melhor. Não estamos aqui ? toa, por nada. O Criador deve ter pensado em nos fazer capazes de melhorar o mundo por ele criado; sou parte integrante do universo e, portanto ninguém pode fazer o que faço e como faço e se eu não fizer esta parte ficará ser sem feita, entendeu? Coloque sua ação em ação! Vá ? luta sem medo de errar… Acredite em seu potencial; você tem valor! Se não o fosse certamente não estaria aqui… Faça a diferença!

Na TV Século 21 um dia uma pessoa disse que não pararia de lutar, mesmo em meio a todas as adversidades que a vida lhe oferecia e penso naquilo constantemente… É… Parar é coisa de gente covarde!

Na rede Canção Nova de Rádio também, “vira e mexe” aparece gente a dizer que não encontra valores a serem degustados na vida, mas me lembro de uma Dona Maria Tereza Gomes que vem dizer, mesmo com sua “dor de estombogo” que quer sarar para ir ? escola e “passar de ano”.

Quantos valores ainda teremos que ver para aprender a não deixar o tempo passar diante de nossos olhos como uma mera dramaturgia? Gostava de ouvir meu professor de teologia Frei Gorgulho a dizer que temos que ser os personagens principais da história de nossa vida e de nosso mundo… Os protagonistas.

Por isso e muito mais louvo a Deus pelos quatro anos de existência da ASFA (Associação Sagrada Família) que não quer apenas ser mais uma obra a cuidar de doentes ou de idosos, mas quer ser A obra… Não estamos aqui para sermos iguais, mas para sermos melhores, lógico, sem pisar em ninguém e sem demagogias!

Vamos ? luta então?

“Pé na tábua!” “Ripa na chulipa” e “pimba na gorduchinha” e marcaremos o gol da felicidade e da alegria de ter valido a pena nossa existência.

Eu:

Pe. Delair Cuerva.