OS INTOCÁVEIS ( The Untouchables, 1987, direção Brian de Palma )

Dias atrás tive o prazer de rever um dos maiores clássicos do cinema no gênero policial ou “mafioso”: Os Intocáveis.

Depois do mega-clássico “O Poderoso Chefão”, o longa dirigido por Brian de Palma é um dos filmes policiais mais primorosos e bem elaborados de Hollywood.

Rodado em 1987, o longa é baseado na série homônima exibida entre 1959 e 1963 e conta a história dos submundos de Chicago nos anos 30, durante a vigência da Lei Seca, e o trabalho do agente federal Eliot Ness (Kevin Costner) para combater o crime em uma cidade onde policiais e autoridades são corrompidos pelo famoso mafioso Al Capone (Robert de Niro).

Eliot Ness sofre uma série de fracassos até pedir ajuda do policial aposentado Jim Malone ( Sean Connery ) que, por sua vez, recruta o atirador George Stone ( Andy Garcia ) e, inadvertidamente, o contador Oscar Wallace ( Charles Martin Smith ) para formar o grupo de combate ao crime “Os intocáveis”.

O filme tem um início lento até a formação dos “intocáveis”. A partir de então, o que se vê é uma série de cenas bem elaboradas e eletrizantes com direito a muitos tiros e muita violência, típica da época dos gângsters.

A cena mais memorável do filme e que figura também na lista das cenas mais marcantes do cinema é a de Eliot Ness e George Stone e o carrinho de bebê descendo a escadaria em meio a um tiroteio. A cena se desenrola em câmera lenta, mas tira o fôlego de quem assiste.

Ao contrário da saga “O Poderoso Chefão”, “Os intocáveis” tem um desfecho até previsível, apesar do grupo de combate ao crime sofrer algumas baixas. O público se sente “vingado” com o rumo de Al Capone e com a atitude final de Eliot Ness, na cena da perseguição no telhado do tribunal.

Kevin Costner protagoniza o filme, mas quem toma conta do longa são os excelentes Sean Connery ( o eterno 007 ) e Robert de Niro atuando, respectivamente, como Jim Malone e Al Capone. Tanto é que Sean Connery ganhou o Oscar de Ator Coadjuvante em 1988, pelo longa.

Se você é um cinéfilo, com certeza, já assistiu “Os Intocáveis”, mas, se não for o caso, assista ao filme! Vale muito a pena. É garantia de ação com uma boa história. Digna do gênero de filmes de gângsters.

{n}Érika Svícero Martins França
Jornalista – MTB 028.063