O MODELO ARCAICO BRASILEIRO

Ficou claro nesta eleição, que o Brasil precisa passar por uma reforma política urgente. Não dá mais para o eleitor, conviver com este sistema de campanha, completamente acéfalo e inútil.

Os horários eleitorais gratuitos, são exemplos de bizarrices hediondas, que agridem a inteligência, até mesmo do mais desinformado cidadão. São candidatos despreparados, semi analfabetos e sem o mínimo de graça, que invadem os horários nobres do rádio e televisão e vomitam idéias absurdas, num sistema engessado, que há muitos anos afronta o eleitor que tem o mínimo de inteligência.

Por falta de opções, o brasileiro acabou abraçando a campanha com o que tem. Uma candidata que pertence a um partido cheio de corruptos e mensaleiros, que atacaram ferozmente os cofres públicos e usaram a Petrobras para desviarem milhões, e um candidato que, pasmem os senhores! Pertence a um partido que até assume que tem corruptos, mas que seus ladrões não são tão ruins como os outros.

É isso mesmo! A campanha do PSDB foi baseada no argumento ridículo que existe corrupção em alguns membros do partido (vide Metrô de São Paulo), mas se comparados aos desvios feitos pelo PT, seus bandidos viraram “ladrões de galinha”.

Não dá para aceitar mais isso. Quem furta uma caixa de fósforos, é tão bandido quanto aquele que rouba 1 bilhão de reais. Não existem corruptos mais ou menos bonzinhos. Muito menos, existem candidatos menos ruins.

Nós precisamos urgentemente de políticos honestos, que não desviem o dinheiro do povo para benefício próprio e que cumpram suas obrigações com os montantes arrecadados pelos impostos, que entram aos trilhões em Brasília. É isso mesmo. O governo arrecada valores que tocam a casa dos trilhões de reais, e argumenta que não tem dinheiro para investir em escolas, segurança e saúde.

A presidente Dilma, passou a campanha inteira falando de idéias e propostas para os próximos quatro anos. Então por que não fez enquanto estava no governo¿ O candidato Aécio falou em mudanças e reestruturação. O mesmo candidato que foi rejeitado pelo seu povo nas urnas em Minas Gerais e durante seu governo naquele estado, não apresentou nada de novo. Uma piada.

No meio de tudo isso, fica o eleitor. Sem saber em quem votar e lidando com dois candidatos, lutando para passar a imagem do “menos ruim”. De quebra, o coitado do cidadão foi obrigado a conviver com os Tiriricas da vida, que de engraçado, nem o nome, quanto mais as palhaçadas idiotas que fizeram.

Está na hora do TSE rever tudo isso. Chega, já não agüentamos mais. Queremos propostas sérias, concretas e coerentes. O Brasil não precisa de ataques e muito menos de imprensa sensacionalista tendenciosa que pende para este ou aquele partido. 

A reforma política se transformou numa necessidade fundamental, para que no futuro, o povo brasileiro possa tomar suas decisões de maneira verdadeiramente consciente e lúcida.