MAIS ENCONTROS QUE ENSINAM…

Coisa boa é poder chegar até você e passar um pouco de quem e do que encontro em meio ? s minhas andanças por este Brasil afora.

Mas uma das coisas que mais mexe comigo mesmo é estar andando pelos corredores da UNESP e ali encontrar as lições de vida em meio ? s aulas de dor muitas vezes.

Engraçado como a gente ? s vezes, ou na maioria delas, procura longe coisas que nos edifiquem quando as mesmas estão tão perto de nós e talvez bem lá diante de nossos olhos; mas nos colocamos a vendar os mesmos e não conseguimos perceber a clareza dos efeitos que podem surtir aquilo que está “diante de nosso nariz”.

Quero lembrar aquele senhor que me disse da alegria de ter no coração as palavras que recebeu da Ir. Maria da Paz e que alentaram tanto seu coração que nem da Unção estava precisando. Coisa linda ele se apossar da graça de Deus que chegou aos seus ouvidos e lhe fizeram forte diante da fraqueza de seu corpo… Veja aí o poder que nossas palavras têm e como podem trazer bênçãos ? s pessoas em nosso dia a dia…

Tenho certeza que cada Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística (que chamam Ministros da Eucaristia) que atua na UNESP pode dizer o que aprendem lá e como são preenchidos da graça de Deus cada vez que andam e levam alento ? queles irmãos e irmãs nos leitos visitados e como podem testemunhar isso; basta a mim ter estado em nossa reunião da Capelania Católica nesta quarta passada e ver seus olhos brilhando de alegria por poderem ser força em meio ? fraqueza daqueles por nós visitados. Como é bom fazer o bem… Você que se sente muito mal vá lá e caminhe para perceber quanto valor tem sua vida e quanto se preocupa com coisas banais.

Não posso deixar de lembrar do sorriso aberto e lindo daquela jovem parente de Dona Cida que me recebeu e falou de seu drama do acidente, mas com o coração preenchido da esperança e certeza que tudo sairá bem ao final das contas. Nós temos que aprender que “depois da tempestade vem sempre a bonança”.

E a alegria do casal Dhaiane e Rafael ao receber o convite para representar a nossa associação no Encontro de Casais; como seus olhos brilharam na ânsia de sentir-se amados (e o são) e me fez remeter ao pensamento que somos amados sim e não precisamos nos entregar a tantas loucuras do dia a dia na busca de sermos reconhecidos por aquilo que fazemos, mas temos o dever de fazer o melhor e este melhor aparecerá mediante nossa simplicidade de atitudes. Tal qual aquele candidato a vereador que sempre esteve na ASFA e que olhou pra Jesus na Eucaristia (que o povo chama de hóstia) e depois tocou em minhas mãos como alguém que diz: sei em quem acredito e sei que Ele fará o melhor para mim e minha família… Aquele olhar falou mais que mil palavras e o sorriso de sua filha foi maravilhoso após tocar no Mestre, como aquelas pessoas que foram tocadas que lemos na Palavra e que sentiram uma força sair Dele.

Ficaria aqui por milhares e milhares de páginas a declarar as pessoas e coisas que a gente encontra no dia a dia; mas uma tenho que dizer…. A simplicidade de nosso Arcebispo Dom Maurício que, ao término da Ordenação do Padre Gustavo (que cerimônia banhada de emoção e alegria), ficou abraçando cada pessoa que se aproximava dele e dando a atenção, sorriso e especial carinho escondido por de trás de sua barba (risos).

Pois é… É formidável ver e rever com outros olhos cada ação e encontrar nela aquilo que quer expressar ou que pode sentir expressado por outrem…

Com um beijo de Jesus, pelos lábios de Maria e no abraço de José:

Sempre lendo a Palavra:

{n}Pe. Delair — com Delair Cuerva, Pe Delair Cuerva e Fraternidade Missionária Da Divina Providencia.